Felipão ressalta merecimento em vitória do Palmeiras: "Premiou a equipe que mais tentou"
Felipão em entrevista coletiva (Foto: Rafael Costa/VAVEL Brasil)

Felipão ressalta merecimento em vitória do Palmeiras: "Premiou a equipe que mais tentou"

Técnico Luiz Felipe Scolari tinha 10 vitórias e 10 derrotas contra o Corinthians antes do triunfo de hoje, e ampliou retrospecto positivo

vv_cunha
Victor Cunha

Neste domingo (9), o Palmeiras recebeu, no Allianz Parque, seu arquirrival Corinthians, em jogo válido pela 24ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Com gol de Deyverson, o time de Felipão venceu a partida e se manteve perto dos líderes, ficando com 46 pontos, três atrás de Internacional e São Paulo.

Após a vitória, Felipão concedeu uma entrevista coletiva e comentou a atuação de sua equipe e a importância de sua vitória número 200 no comando da equipe palmeirense.

 “O resultado no final premiou a equipe que mais tentou fazer o gol, que mais queria fazer esse gol porque me parece que o Corinthians tinha um proposta um pouco diferente. Tentando fazer o gol, mas vindo mais fechado. Sobre o Deyverson, a gente conversou com o Marcos (Rocha) na beira do campo porque tava existindo um clima dentro de campo que poderia gerar alguma situação mais confusa e a gente optou por tirá-lo. A vitória de número 200 é importante para mim, é importante para o Palmeiras, mas o mais importante é o resultado positivo para ficarmos naquele grupo que ainda busca o campeonato. Eu sempre tenho os dados e vou examinando e tentando prever como fazer o primeiro tempo, quais as substituições do segundo, mas por enquanto o planejamento tem dado certo”, analisou.

Questionado sobre a velocidade com que seu trabalho deu resultados, Felipão disse ser culpa por 'ser da casa' e por ter uma boa base de trabalho vinda de Roger Machado.

Eu era da casa, eu sou da casa. É a terceira vez que estou no Palmeiras e eu me sinto palmeirense, pelo trabalho e pelo coração. O trabalho que foi feito anterior ao meu tinha base então eu aproveitei essa base e dei algumas retocadas naquilo que eu acho que um técnico tem de fazer, no sentido de ambiente, de amizade e de carinho. E depois, pela dificuldade de jogar os 3 campeonatos, eu fui aproveitando os dados que o o meu centro de treinamento me fornece pra colocar esse ou este jogador. E depois de tudo, eu tenho que agradecer ao Paulo Turra e ao Carlos Pracidelli, visando dar um equilíbrio e dando uma identidade ao Palmeiras”, ressaltou.

Felipão também comentou a situação de brigas e desentendimentos entre seus jogadores e os jogadores do Corinthians, uma coisa que vem se tornando normal nos últimos clássicos.

O Palmeiras tem que jogar futebol, não tem que brigar com Corinthians, jogando futebol com a qualidade que tem e não entrar e confusão e brigar. Hoje puxamos o freio de mão para não brigar e jogar um pouco mais. Nós tínhamos algumas situações envolvendo jogadores A, B ou C que brigaram um com o outro. Vocês lembram do Edílson, quando fez aquela série de embaixadinhas. Eu fiquei bravo com ele? Não, levei pra Copa. Porque o Edílson era muito bom", contou.

+ Confira ofertas de nosso parceiro Futfanatics

Felipão, apesar da boa fase de Deyverson, disse que ainda existem coisas para se ajustar fora dos gramados. O atacante está suspenso pelos próximos três jogos do Palmeiras, por três competições diferentes.

 “Ainda tenho que mudar algumas coisas, algumas situações não pegam bem dentro de campo ou fora de campo, é isso que eu tenho que conversar e mudar com o Deyverson. Mas no restante ele se dedica de uma forma que é difícil alguém fazer da forma que ele faz e ele é um centroavante, daqueles que não perdem bola aérea. Todo mundo faz com que ele apareça em algumas oportunidades. Não tenho Deyverson contra Bahia, Colo-Colo e Cruzeiro. Tenho que ajustar algumas coisas internamente”, ressaltou.

Por último, Felipão comentou sobre sua equipe, que está bem em campo, mas para o técnico, ainda tem coisas para se ajustar fora dele.

Preciso ajustar alguns procedimentos do nosso time, não jogando futebol, e sim fora. Essa é a minha função agora. Dentro de campo está tudo organizado, o Carlos e o Paulo, nosso preparador e nosso centro nos dando condições, tá tudo bem. Só que preciso ajustar algumas situações que não são dentro de campo e é isso que me preocupa. Para gente ganhar precisa ter uma cabeça muito boa”, analisou.

O Palmeiras volta aos gramados na próxima quarta-feira (12), quando recebe, no Allianz Parque, o Cruzeiro, pelo jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil. O jogo ocorre às 21h45.

VAVEL Logo