Cuca revela dificuldades na escalação contra o Bahia: "Torcedor não sabe tudo o que ocorre"
(Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC)

Cuca revela dificuldades na escalação contra o Bahia: "Torcedor não sabe tudo o que ocorre"

Técnico diz que peças importantes não estavam aptas para a partida e pede mais mobilidade ao time

vitor-moura
Vítor Moura

Chances não faltaram, mas time que não faz gol acaba em apuros. A história não foi diferente com o São Paulo que perdeu o jogo de ida das oitavas da Copa do Brasil, 1 a 0 para o Bahia, com direito a gritos de "olé" por parte da torcida adversária. Foi o segundo jogo em quatro dias entre as equipes e o Tricolor não conseguiu marcar contra o rival.

Após o revés o técnico Cuca concedeu entrevista coletiva para a imprensa. Na primeira pergunta o treinador disse que o time não jogou mal, mas faltou converter as chances criadas.

"O São Paulo não fez uma má partida. Fez uma boa partida até o terço final, pecamos no famoso último passe e na finalização. Um jogo complicado com um adversário que joga no teu erro, como jogou no domingo. Nós tivemos chances claras, até mais clara do que a que o Élber fez o gol. Mas não convertemos."

E sobre os titulares outra questão foi levantada, referente a equipe ideal do São Paulo que Cuca procura no Tricolor que, segundo ele, não esteve em campo no duelo.

"Eu entrei com o melhor São Paulo que eu podia. O torcedor não sabe tudo o que ocorre. Ele vê a falta do Hudson, mas o Hudson está com dores. Vamos para o jogo Hernanes? Não dá, professor. Vamos para o jogo Antony? Não dá, professor, estou muito cansado. Você não tem como por esses jogadores se eles não estão na condição ideal. Mas teve duas semanas para trabalhar... Não se trata de por time alternativo, pusemos o melhor que a gente pode, e o time jogou bem. Se entra uma bola antes acaba fazendo um, quem sabe o segundo. Infelizmente não aconteceu."

Ainda no assunto time ideal, Cuca gostou do time que entrou em campo ao comparar a equipe do empate do último domingo (19) diante do mesmo Bahia. Segundo ele poucas peças precisam ser alteradas.

"Hoje nós jogamos com Igor Gomes, Everton e dois atacantes. Se você mudar um nome ou outro, mas o esquema é o mesmo. Foi a mesma coisa. É que quando não vem o resultado é natural de virem as críticas e questionamentos do por quê esse e não aquele. O jogador se adapta, não podemos ser robotizados. Ainda precisamos de mobilidade."

"Vamos para cima tentar reverter na casa deles"

Entre os jogadores o discurso era de que o time jogou bem, finalizou, mas que pela sorte e principalmente pelo goleiro a noite não foi mais feliz. Bruno Alves fez questão de frisar o destaque do arqueiro Douglas.

"No primeiro tempo a gente pecou no último passe. No segundo, acho que o goleiro Douglas fez umas quatro defesas e teve bola na trave. Agora é trabalhar e pensar no Corinthians domingo."

Alexandre Pato também foi outro atleta que falou com os jornalistas depois da partida. Ele lamentou o gol perdido após sua finalização acertar a trave, lembrou da boa defesa de Douglas e ressaltou que a equipe vai buscar o placar para se classificar na Copa do Brasil.

"Tentei fazer o gol correndo, chutando e fazendo aquilo que todos esperavam: chutar no gol. Infelizmente a bola parou na trave, o goleiro fez uma defesa boa. É continuar tentando. Tem o segundo jogo. Nada acabou. Vamos para cima tentar reverter na casa deles."

O camisa 7 também completou sobre a parte física, já que o jogador atuou durante os 90 minutos pela primeira vez após a pancada sofrida no jogo contra o Flamengo pelo Campeonato Brasileiro no começo do mês.

"Estou bem fisicamente. Depois de uma pancada que eu tomei, fiquei uma semana parado, voltei e joguei meio tempo. Estou bem. Estou tentando fazer o meu melhor, me esforçando o máximo. Sempre vou fazer o meu melhor para o São Paulo. Entendo a torcida, ela cobra muito, entendemos a cobrança. Mas temos que fazer o nosso jogo dentro de campo e tentar fazer o nosso melhor. Tenho certeza que logo a bola vai entrar", completou o atacante.

VAVEL Logo