Renato Portaluppi chega a 384 jogos no comando do Grêmio e destaca: "Quero bater mais recordes"
Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

O Grêmio chegou a mais um vitória sob o comando do técnico Renato Portaluppi. Diante do Goiás, o comandante chegou a marca de 384 partidas à frente do Tricolor, sendo o que mais comandou o time, com 200 vitórias. Após o duelo, ele falou sobre o recorde. 

Em primeiro lugar estou muito feliz em quebrar essa marca de 384 jogos a frente do Grêmio. Agradecimento especial ao presidente Romildo, para o nosso torcedor e ao meu grupo. Espero continuar nos próximos três meses quebrando recordes junto dessas pessoas. Feliz duplamente, nessa data tão marcante, o Grêmio conquistou mais uma vitória diante do Goiás e garantiu os 3 pontos. O mais importante é a sequência de 384 jogos, com muitas vitórias e muitas conquistas. Conquistamos nesses últimos quatro anos bastante títulos.” 

Com o retorno de Maicon, o técnico gremista ganhou uma nova opção no meio. Na partida de hoje ele escolheu começar com o camisa oito, mas afirmou que precisa de todo o grupo. 

Maicon, Matheusinho, Darlan, Lucas Silva, é importante ter várias opções porque se não, ninguém aguenta. O Grêmio tá em três competições e eu preciso de todo mundo. Tenho feito esse rodízio e quem tem entrado ta dando conta do recado.”

Renato falou também sobre a evolução de Jean Pyerre. De acordo com ele, o camisa 10 do Grêmio amadureceu nos últimos jogos. 

O Jean é um jogador diferenciado. É importante o crescimento dele profissionalmente, não só dentro do campo. Ele amadureceu bastante. Tenho conversado com ele, que ele pode ir pra Europa, chegar na seleção brasileira, só depende dele.”

O treinador foi questionado sobre o bom momento de Luiz Fernando e o retorno de Alisson. Mais uma vez ele afirmou sobre a importância de ter mais de uma opção no grupo, ressaltando que ter que escolher quem escalar é uma boa dor de cabeça.

“Eu conheço melhor que ninguém o meu grupo. Sei das qualidades deles, dependendo do que a gente precisa. O Luiz Fernando melhorou muito, lapidamos ele, ainda falta alguma coisinha. Ele tem crescido. Estamos torcendo para que o Alisson saia logo do departamento médico. Essa é a uma dor de cabeça maravilhosa para o treinador.”

Com um histórico vitorioso como comandante do Grêmio, Renato afirmou que ainda quer mais. Ele ainda destacou mais uma vez a união do grupo gremista. 

"Eu quero ganhar mais. Desde que cheguei disse que o Grêmio ia sair da fila. Sempre coloco na cabeça do meu grupo que ganhar é bom e a gente não pode se acomodar. Ganhando mais você chega ao objetivo que é o título. Nosso grupo é fechado e unido. A principal coisa para um bom trabalho é o ambiente."

Emoção de Portaluppi

Ao final da coletiva, o técnico se emocionou falando de quando deixou a casa dos pais para seguir o sonho de ser jogador de futebol.

Eu tive que sair de casa, fugir pela janela do meu pai para poder vir para Porto Alegre, meu sonho era ser jogador e ajudar minha família Infelizmente perdi meu pai em 81, no primeiro ano no Grêmio, e em 2010 perdi minha mãe. Tenho certeza que lá do céu eles estão vendo tudo com orgulho.

VAVEL Logo