Roger comemora classificação e cita 'franca evolução' do Fluminense
Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

O Fluminense perdeu, por 2 a 1, de virada, para o RB Bragantino, nesta quarta-feira (9), mas avançou às oitavas de final da Copa do Brasil. Já que havia vencido o jogo de ida por 2 a 0. Após a partida, o técnico Roger Machado elogiou a equipe, que, segundo ele, vem evoluindo.

É só um início de trabalho. Eles já têm um conhecimento tático e estratégico do modelo da equipe para tomarem as melhores decisões em campo. Há uma franca evolução no processo. Agora, tem onde evoluir. Se vamos conseguir nos mantermos próximos dos primeiros no Brasileiro para tentar conquistar o título, ou na Libertadores e Copa do Brasil chegando com força, possibilidades de conquistas importantes”.

E completou: “Sei que tem bastante margem para evolução. Mas vai haver passos atrás e passos adiante. Em comparação com o Bragantino, que tem um trabalho de dois anos, por isso tem esse tipo de jogo, o conhecimento dos atletas do modelo. Estou muito entusiasmado com o começo, sobretudo com a compreensão dos atletas. Hoje eles compreendem o sistema, e isso faz com que possam tomar as melhores decisões”.

O comandante também afirmou que a equipe não entrou em campo apenas para se defender, já que tinha a vantagem. Para Roger, a equipe errou muitos passes em contra-ataques e as substituições demoraram um pouco a entrar no jogo.

E o adversário motivado, no desespero para retirar a diferença, foi para cima. O primeiro gol foi um descuido nosso na bola parada, não ficou ninguém na frente da bola para impedir a cobrança rápida, e depois era natural a pressão de final de jogo. Tomei a providência de colocar o Braz de primeiro volante, já jogou assim outras vezes, para que ele naturalizasse o passe e pudesse ajudar também de zagueiro nas bolas aéreas. Mas não penso que ter entrado com jogadores mais leves tenha sido o resultado da diminuição da pressão. Foi muito mais o ímpeto do adversário”.

Com a classificação, o Tricolor faturou R$ 2,7 milhões. Roger enalteceu a conquista da vaga e também elogiou o adversário que, segundo ele, era o mais difícil desta fase da competição.

Muito importante no aspecto técnico, financeiro, dá confiança na estratégia que o comandante estabelece. Nós pegamos a equipe mais difícil sem dúvida dessa fase. Uma grande equipe, entrosada, com um jovem e grande treinador no comando, e vencemos por 3 a 2 no agregado. Costumo dizer para os atletas que Independentemente do local, a primeira partida é muito determinante para a classificação na maioria da vezes. Outras grandes equipes ficaram no meio do caminho”.

Roger também falou sobre Nenê, que marcou, de falta, o gol da equipe, mas que vem sofrendo diversas críticas nesta temporada. O treinador elogiou o meia.

Por vezes o que o torcedor fala é opinião, as nossas avaliações internas são técnicas e táticas, o que o jogador pode render. Ainda mais nesse modelo que passamos a atuar nos últimos jogos. Embora com seus 39 anos, o Nenê tem um limiar muito alto, em nenhum momento deixa de correr ou de fazer as funções táticas que são importantes para essa função”.

Quem também recebeu elogios foi o goleiro, Marcos Felipe. O arqueiro teve boa atuação na partida e realizou grandes defesas, evitando que a derrota fosse por um placar maior.

Eu digo para os atletas que eles não devem dar a volta para mostrar ao ambiente externo a recuperação. Ele tem que focar no seu rendimento, nos seus números. Depois da final (do Carioca), onde muitos atribuíram falhas do Marcos à perda do título, dei os parabéns a ele logo no jogo seguinte, quando estava pressionado pelo ambiente externo e fez um grande jogo. Isso mostra que um jogador vai se fortalecendo com esses eventos”.

Roger encerrou falando sobre a possibilidade de poupar alguns jogadores na próxima partida, pelo Brasileirão:

Eu vou me permitir não usar a palavra 'poupar' porque parece um desprestígio à competição e um desrespeito ao adversário. Mas se precisar colocar jogadores frescos, descansados, faremos para manter esse nível. A partir de amanhã, começamos a desenhar isso, a recuperar os jogadores dessa batida. A gente pensa, sim, sempre em todo jogo, mas trabalha junto com a fisiologia. Se for necessário para manter a intensidade, faremos, sim”.

Aliás, Fluminense e RB Bragantino voltam a se enfrentar no próximo domingo (13), mas dessa vez pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. O duelo será novamente no Nabi Abi Chedid, às 20h30.

VAVEL Logo