Mano Menezes afirma que Cruzeiro teve "grandeza do campeão" diante do Corinthians

Triunfo garantiu a equipe mineira na próxima fase da Copa do Brasil; treinador ainda comentou sobre as alterações que promoveu no time nos últimos jogos

Mano Menezes afirma que Cruzeiro teve "grandeza do campeão" diante do Corinthians
Foto: Juliana Flister/Light Press/Cruzeiro

Em desvantagem no marcador assim que o árbitro apitou o início da partida, o Cruzeiro precisava correr atrás do prejuízo para se classificar às semifinais da Copa do Brasil de 2016, já que havia perdido a primeira partida, em São Paulo, por 2 a 1. Depois de um jogo dramático, o Cruzeiro triunfou diante do Corinthians, por 4 a 2, na noite dessa quarta-feira (19), no Mineirão, e agora vai enfrentar o Grêmio por uma vaga na final da competição.

Mano Menezes reforçou que o treinador deve ser pulso firme na hora de promover alterações e disse que para vencer uma competição como a Copa do Brasil, a equipe deve ter mais que onze peças importantes. “Você tem que ter a grandeza. Se você acha que o treinador é o sujeito capaz quando ele te escolhe como titular, você tem que pensar a mesma coisa quando ele escolhe outro. No futebol brasileiro às vezes a gente tem um pouco de dificuldade de entender”, disse.

“Não dá pra ser campeão com onze jogadores. Precisamos de um grupo de qualidade, pois são jogos duríssimos, você tem que ter três alterações sempre na mão para poder mudar a característica de um jogo e só dá pra começar com onze. Então a gente tem que ter a grandeza do campeão, se quisermos ser campeões da Copa do Brasil. Hoje nosso time teve essa grandeza”, afirmou.

Mano elogiou a boa atuação da equipe e destacou que o resultado é fruto de uma sequência de atuações positivas. “Foi um grande jogo, muito forte e intenso, mas que nos dá a vaga na semifinal da Copa do Brasil. As duas equipes alternaram momentos dentro da partida. Eu disse aos jogadores que se tivéssemos a mesma postura diante do Corinthians, que tivemos diante da Chapecoense, e a mesma capacidade de criação, a bola iria entrar, porque ela obedece ao bom jogo”, comentou.

Logo no início do jogo, o meio-campista Rafinha teve que deixar o jogo devido à uma lesão. Arrascaeta foi para o jogo e protagonizou. O técnico explicou a mudança que prevaleceu na equipe nos últimos jogos, quando Rafinha estava sendo o titular. “Com o Arrascaeta, a equipe não vinha jogando mal. Fizemos ótimos resultados na primeira etapa da minha chegada, mas depois, de doze pontos, fizemos um”, analisou.

“Eu precisava fazer algo para a equipe resgatar a competitividade, o jogo mais duro, o placar mais justo, mas precisava fazer algo pra recuperar, pois a coisa não estava boa. A gente não pode ver o jogo só com nossas preferências. Às vezes eu gosto de um futebol de 4 a 2 como esse, mas quando o resultado não vem, o trinador tem que encontrar soluções. Minha responsabilidade é encontrar soluções para o Cruzeiro vencer”, destacou.