Sem marcar há dez partidas, Bérgson exalta coletivo do Náutico

Atacante minimiza jejum, mas reconhece necessidade de fazer gols

Sem marcar há dez partidas, Bérgson exalta coletivo do Náutico
Com a chegada de Yuri Mamute, Bergson teve sua titularidade ameaçada (Foto: Léo Lemos/Náutico)

Nas 18 partidas que disputou pelo Náutico na Série B do Campeonato Brasileiro, Bergson marcou apenas três gols. Pior que isso, o atacante está há 100 dias sem marcar, aproximadamente três meses e meio sem balançar as redes.

Titular absoluto no time, para Bergson, é mais importante pensar no coletivo. Se o ataque Alvirrubro tem sido eficiente e ele colabora com isso, não há preocupação em ser o último a tocar na bola.

"Eu acredito que o desejo pessoal fica em segundo plano. Enquanto minha equipe estiver ganhando e pontuando, marcar gol fica em segundo plano. Eu, Rony, Vinícius, o pessoal mais ali da frente, temos dado nosso máximo e isso está sendo reconhecido por todos. Lógico que ficamos chateados por não marcar por estar mais perto do gol, mas acho que isso vai acontecer com o tempo."

Desde o gol de pênalti contra o Bragantino, no Estádio do Arruda, válido pela 10ª rodada da Série B, em 18 de junho, que o atacante não marca com a camisa Alvirrubra. Com a chegada de Yuri Mamute, Bergson admite que precisa voltar a marcar pra não perder espaço na equipe.

"Só quem ganha com essa disputa é o Náutico. É Givanildo que tem essa opção de quem escalar, nós estamos nos empenhando, dando o máximo nos treinos. Nessa função que estou fazendo, estou me readaptando, porque já fiz antes. Vem sendo uma coisa importante para mim. A bola não vem entrando, mas estamos fazrndo nosso papel", enfatizou.

O Timbu volta a campo no próximo sábado (1º), na Arena de Pernambuco às 16h30 e enfrenta o Vasco da Gama, líder da Série B, pela 28ª rodada. O Náutico ocupa a 10ª posição com 39 pontos, três a menos que o Avaí, quarto colocado. Já a equipe carioca segue na liderança isolada, com 51 pontos. A partida de ida terminou em 3 a 2 para o Vasco.