Retrospectiva VAVEL: os 10 melhores jogos da temporada do Santos

Em ano decepcionante, Santos não conquista nenhum título

Retrospectiva VAVEL: os 10 melhores jogos da temporada do Santos
(Foto: Rodrigo Rodrigues / VAVEL Brasil)

Com ano abaixo do esperado, Santos disputou quatro competições e não foi campeão em nenhuma. O Alvinegro viu seu rival Corinthians conquistar o Campeonato Paulista e Brasileirão, enquanto sofreu eliminação em casa para o Barcelona de Guayaquil. A VAVEL Brasil separou um top 10 dos melhores jogos do Atlético Paranaense na temporada, confira.

10- Santos goleou e terminou a fase de grupos da Libertadores com chave de ouro

Já classificado para as oitavas de final da Libertadores, o Santos recebeu com tranquilidade o Sporting Cristal na Vila Belmiro. O Alvinegro que só tinha goleado apenas duas vezes no ano - contra o Linense por 6 a 2 e contra o São Bernardo por 4 a 1. Bateu o Sporting Cristal por 4 a 0, com gols de David Braz (2x), Ricardo Oliveira e Vitor Bueno.

Foto: Getty Images

Aos 18 minutos, David Braz abriu o placar para o Peixe. Quatro minutos depois, foi a vez de Ricardo Oliveira balançar a rede. Na segunda etapa, Vitor Bueno driblou o goleiro e fez um golaço. Aos 26 minutos, o zagueiro artilheiro, David Braz, fechou o placar.

9- Estreia em 2017 com grande estilo

O ano de 2017 começou para bem o Peixe. Logo na estreia, o Santos venceu o Linense com uma goleada convincente de 6 a 2 na Vila Belmiro, em duelo que abriu o Paulistão de 2017. Rodrigão (2x), Lucas Lima, Arthur Gomes, Vitor Bueno e Thiago Ribeiro marcaram os gols do Peixe.

Logo aos 12 minutos, Rodrigão abriu o placar para o Santos. Não precisou esperar muito tempo para aumentar, dois minutos depois, o atacante balançou as redes mais uma vez. No segundo tempo, foi quando teve uma chuva de gols. Carleto diminuiu a partida. Logo em seguida, Lucas Lima recebeu passe de Thiago Maia e ampliou, matando a partida. Ainda teve tempo para Arthur Gomes, Vitor Bueno e Thiago Ribeiro confirmarem a goleada.

8- Copete marcou três, e empurrou rival para a vice-lanterna

Foto: Ivan Storti/ Santos FC

Após Rogério Ceni ser demitido, o Santos recebeu o São Paulo na Vila Belmiro, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. A noite foi do colombiano Copete, que marcou três vezes e comandou a vitória do Santos, empurrando o São Paulo para a vice-lanterna do Brasileirão.

Foto: Ivan Storti/ Santos FC

No fim do primeiro tempo, Kayke finalizou e o goleiro deu rebote, a bola sobrou para Copete abrir o placar, na comemoração, o colombiano tirou a camisa e mostrou uma grande cicatriz na barriga. No segundo tempo, o Santos ampliou aos oito minutos com o colombiano. O terceiro saiu aos 21 minutos, matando a partida. Mas o São Paulo não desistiu, Pratto perdeu um pênalti. Ainda deu tempo para Shaylon e Arboleda descontar.

7- Bruno Henrique fez hat trick e comandou Santos na vitória sobre o Bahia

Em um domingo com Pacaembu lotado, foi a vez do atacante Bruno Henrique fazer seu hat trick e dar show. Com o atacante em dia inspirado, o Santos derrotou o Bahia por 3 a 0, em partida válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Foto: Getty Images

O atacante começou a partida apagado, até aos 28 minutos, quando ele aproveitou um rebote do goleiro Jean para abrir o placar. Depois Bruno Henrique se soltou, no final da primeira etapa, ele recebeu um grande passe de Lucas Lima e só precisou empurrar para as redes. No segundo tempo, ele balançou as redes mais uma vez.

6- Elano assumiu e fez Santos voltar a ter boa atuação

Após demissão de Levir Culpi, Elano foi quem assumiu o comando do Santos. O Santos derrotou o Atlético-MG por 3 a 1 na Vila Belmiro, o Alvinegro teve grande atuação, animando os santistas para o restante do campeonato e na briga do título do Campeonato Brasileiro.

Foto: Ivan Storti/ Santos FC

O Santos pressionou o Galo no primeiro tempo todo. Foi nos acréscimos que o Peixe abriu o placar, Bruno Henrique cruzou para o Menino da Vila, Arthur Gomes, abrir o placar. No inicio da segunda etapa, Fred empatou para os visitantes. O Santos não demorou muito para responder, e David Braz desempatou aos doze minutos. No final da partida, Ricardo Oliveira fechou o placar.

5- Com um a menos, Santos arrancou empate heroico e garantiu vaga nas oitavas de final da Libertadores

Foi na altitude, e com muita raça que o Santos garantiu sua vaga nas oitavas de final da Libertadores da América. Aos 22 minutos do primeiro tempo, Bruno Henrique foi expulso complicando a situação do Peixe, na Bolívia. Restou para Vanderlei, que salvou o Santos de uma goleada.

Foto: Getty Images

Aproveitando que tava com um jogador a mais, a equipe da casa pressionou o Santos, fazendo que o goleiro Vanderlei tivesse que fazer grande defesas. Até aos 39 minutos do primeiro tempo, quando Chumacero abriu o placar. Quando ninguém mais acreditava no empate do Santos, Lucas Lima fez grande jogada e tocou para Vitor Bueno empatar a partida e garantir a classificação do Alvinegro.

4- Encaminhou a vaga para as quartas de final Libertadores 

Nas oitavas de final da Libertadores, o Santos teve pela frente o Atlético-PR. Logo no primeiro jogo, o Alvinegro deu um grande passo rumo às quartas de final da Copa Libertadores. O Peixe derrotou o Furacão por 3 a 2. Kayke (2x) e Bruno Henrique marcaram para o Santos.

A coisa para o Santos parecia que ia ficar feia, quando Nikão abriu o placar logo aos seis minutos para o time da casa. Mas logo aos 25 minutos, o Santos empatou. Lucas Lima deu assistência para Kayke empatar a partida. Aos onze minutos, Victor Ferraz arriscou um chute, o goleiro Weverton falhou e a bola sobrou para Bruno Henrique ampliar.

Foto: Getty Images

Aos 22 minutos, Bruno Henrique deu um belo drible no zagueiro adversário, e tocou para Kayke mandar de letra para o fundo da rede, ampliando o placar para o Peixe. O Furacão ainda diminuiu com Ederson.

3- Santos teve grande atuação, venceu Corinthians e se aproximou do líder

Foto: Ivan Storti/ Santos FC

Em momento decisivo na briga pelo título, o Santos recebeu o Corinthians e venceu os rivais por 2 a 0, se aproximando do líder e se animando com a possibilidade de título crescendo. Em grandes atuações de Vanderlei e Cássio, Lucas Lima e Ricardo Oliveira balançaram a rede para o Peixe.

Foto: Ivan Storti/ Santos FC

O primeiro gol saiu só aos doze minutos, quando Lucas Lima aproveitou sobra na entrada da área e chegou batendo, sem chances para o goleiro Cássio. No final da partida, Ricardo Oliveira marcou o segundo e definiu a vitória do Santos.

2- Primeira vitória na história no Allianz Parque

O Santos precisou de seis partidas para vencer pela primeira vez na história o Palmeiras no Allianz Parque. Em confronto decisivo pela vice-liderança, o Peixe levou a melhor e venceu por 1 a 0. O atacante Ricardo Oliveira marcou o gol da vitória.

Foto: Getty Images

Com campo encharcado pela forte chuva, as duas equipes não conseguiram jogar o primeiro tempo todo. A partida teve mais criação na segunda etapa, quando o campo foi secando. Aos 30 minutos, Bruno Henrique cruzou para Ricardo Oliveira, que de cabeça, mandou para o fundo do gol.

1- Santos jogou com raça e determinação, venceu Flamengo por 4 a 2 e viu vaga escapar por pouco

Foto: Ivan Storti/ Santos FC

O Santos precisava tirar vantagem de 2 a 0 do primeiro jogo das quartas de final da Copa do Brasil. O que não conseguiu, o Alvinegro venceu o Flamengo de virada por 4 a 2, fazendo seu melhor jogo no ano mas sendo eliminado. Bruno Henrique, Copete (2x) e Victor Ferraz marcaram para o Peixe. Berrío e Guerrero balançaram as redes para o Rubro-Negro.

Foto: Ivan Storti/ Santos FC

Logo aos nove minutos, Berrío recebeu grande passe de Diego e abriu o placar, piorando a situação do Peixe. O empate saiu no fim do primeiro tempo, em chute de fora da área de Bruno Henrique. No segundo tempo, Guerrero desempatou para o Flamengo.

Com gol de Copete, o Santos conseguiu empatar a partida. A virada saiu um minuto depois, Victor Ferraz aproveitou sobra e chutou no ângulo. Colocando fogo na partida. Com a Vila Belmiro lotada, e os santistas não parando de apoiar, o Santos só conseguiu fazer o quarto aos 48 minutos com Copete. Não havia tempo para mais nada.