Já conhece quem subiu? Union Berlin: entre esporte e política, o ápice é agora
Foto: Divulgação / Union Berlin 

Liga nacional que mais tem público no mundo, a Bundesliga é famosa pela paixão da torcida dos 18 clubes envolvidos nela. Gigantes como Bayern de Munique e Borussia Dortmund dão as cartas na parte superior da tabela. E na metade inferior, aonde os clubes de menor expressão lutam pela permanência com realidades bem diferentes?

Para a temporada 2019-20, o campeão da 2.Bundesliga da temporada e o segundo colocado, FC Köln e Paderborn, respectivamente, chegaram à primeira divisão de forma direta. Já no Relegation, o Union Berlin despachou o Stuttgart e também garantiu a classificação. Assim, cada um desses três times terão suas histórias contadas por aqui.

Hoje, abrimos a série com o Union Berlin. Então, confira a história dos Die Eisernen (Os Metalúrgicos):

Union Berlin

Não é à toa que a torcida carrega consigo um coração de ferro, que se faz presente e grandioso no “An der Alten Försterei”, estádio inaugurado em 1920, quando ainda se tratava de outra agremiação. Certamente, o histórico do Union Berlin não é compatível com seus apenas 53 anos, afinal, ligado a proletariados desde o final do século XIX, o clube, que se originou da cidade industrial Oberschöneweide, se distinguiria dos demais por ser ‘do povo’ e ativamente contra ao estado, e isso fortaleceu-se perante ao cenário de Alemanha Ocidental e Alemanha Oriental, divididos pelo famoso Muro de Berlim.

A popularidade veio à tona por sua não ligação com órgãos estatais, isto é, dado um cenário de desprezo dos cidadãos ao governo socialista. O clube, mesmo que inserido no lado Oriental, contrariava-se às esquipes ligadas, de certa forma, ao Estado e se caracterizava por sua origem. “Garotos metalúrgicos” era o apelido do time por ser daquele município industrial, que resistia ao Estado — vale ressaltar que, em 1920, Oberschöneweide fundiu-se à Berlim.

Com a essência de luta que mantivera atraia os cidadãos, que, ao mesmo tempo, se viam distante do clube mais popular da época na capital, o Hertha Berlin, preso na Alemanha Ocidental.

Equipe do Union Berlin em 1988 comemorando um gol no último minuto do torneio RDA Oberliga  (Foto: Divulgação/ Union Berlin)
Equipe do Union Berlin em 1988 comemorando um gol no último minuto do torneio RDA Oberliga (Foto: Divulgação / Union Berlin)

Com a queda do Muro de Berlim e a reunificação do país, o Union foi o único time da Alemanha Oriental que se manteve enquanto instituição futebolística representativa na cidade. Isso, graças a torcida conquistada, diferente de outras até então com mais recursos, como o Dynamo de Berlim, que tinha auxílio do Estado, mas que, em contrapartida, não tinha um número relevante de torcedores.

Dentro dos campos

Que os berlinenses têm seus principais destaques ligados ao extracampo é fato, de todo o modo, o clube, em sua caminhada, desde antigas agremiações, somaram sete títulos:

Torneio Títulos Temporadas
Landespokal Berlin 4 1946-47, 1947-48, 1993-94, 2008-09
Taça GDR 1 1967-68 
3ª Liga da Alemanha 2 1946-47, 2008-09
 Taça Intertoto 1 1986-87

OBS: em 2001, foram vice-campeões da Taça da Alemanha (DFB – Pokal).

Na virada do século, a equipe, que migrava entre segunda e terceira divisão alemã, estatizou-se na 2.Bundesliga por 10 anos a partir da temporada 2008-09, quando em 2018-19 se viu conquistando um feito inédito.

O Union Berlin terminou a competição em terceiro lugar, atrás de Paderborn e Colônia. O que lhe daria a oportunidade de disputar a liga principal pela primeira vez, mas para isso teria que vencer o Stuttgart nos play-off. Missão dada é missão cumprida: após a primeira partida terminar em 2 a 2 como visitante, o time da capital alemã necessitava apenas de um 0  a 0 para conquistar a tão sonhada vaga.

Quando garantiu a vaga após superar o Stuttgart na Repescagem, a torcida invadiu o gramado (Foto: Divulgação / Union Berlin)
Quando garantiu a vaga após superar o Stuttgart na Repescagem, a torcida invadiu o gramado (Foto: Divulgação / Union Berlin)


Dito e feito! Em partida marcada por intervenção do VAR em gol do Stuttgart, o jogo terminou sem gols e colocou pela primeira vez o time de Berlim na Bundesliga. Desde 2012, alguém da segunda divisão alemã não passava pelo time da competição principal nos confrontos de play-off.

Como vem o Union Berlin

Era de se esperar certa movimentação no mercado por parte da equipe novata na Bundesliga. No entanto, tratam-se de 19 novidades para a temporada. O desejo do Union Berlin de ‘chegar para ficar’ se faz notório não apenas na quantidade, mas também no perfil das contratações. Dois dos reforços anunciados já figuram entre as chegadas mais caras já feitas pelo clube. Tratam-se do atacante Anthony Ujah, vindo do Mainz 05, e do zagueiro Marvin Friedrich, que era do Augsburg. Ambos custaram aos cofres 2 milhões de euros.

Foto: Divulgação/Union Berlin
Foto: Divulgação/Union Berlin

Além disso, o Union também foi atrás de nomes conhecidos. O zagueiro Neven Subotic, que estava no Saint-Étienne, já é reforço confirmado ao time alemão. O defensor, que fez sucesso com a equipe do Borussia Dortmund, chega ao Union Berlin a custo zero.

Foto: Reprodução/Matthias Koch
Foto: Reprodução / Matthias Koch / Union Berlin

O primeiro confronto oficial da equipe pela Bundesliga é no dia 18 de agosto, domingo, contra o Red Bull Leipzig, às 13h.

MEDIA: 5VOTES: 3
VAVEL Logo