Borussia Dortmund
contradiz filosofia, investe pesado e se nivela a Bayern
Foto: Reprodução / BVB

Os incríveis 127,5 milhões de euros gastos pelo time aurinegro surpreendeu quem achava que o Dortmund se tratava de uma equipe cautelosa no momento das compras. Conhecido por concretizar vendas de altíssimo valor — casos de Götze, Pulisic, Aubameyang, Dembéle, entre outros jogadores —, o Borussia se destaca na janela de inverno pelo caminho inverso.

Apesar da excelente venda de Diallo para o PSG por 32 milhões de euros, não são as saídas que predominam o dia a dia em Dortmund nesta época de mercado. O time, que já apresentou cinco novidades para a temporada, é, hoje, uma das equipes europeias que mais investiu na janela, ficando à frente de seu maior rival nacional, o Bayern de Munique, que desembolsou, até o momento, 118 milhões de euros.

Na última temporada, o time estrelado por Marco Reus e Jadon Sancho chegou a ficar na liderança da Bundesliga por 18 rodadas, quando perdeu a primeira colocação para o Bayern, que logo se tornaria campeão pela 29ª vez e de maneira consecutiva desde a temporada 2012-13. A pergunta que repete a cada é se o Dortmund estaria preparado para, enfim, quebrar a hegemonia dos bávaros. Apesar de uma mesma expectativa a cada início de temporada, a equipe alemã encarou o mercado de forma distinta de anos anteriores, preencheu setores frágeis e solidificou seu elenco para a longa temporada.  

Sancho fica e recepciona reforços ofensivos 

Um ataque que possui Gotze, Reus, Sancho, Alcacer, Pulisic — sem contar Rafael Guerreiro —, é certeza de muitos gols; o que ilustrou tamanha qualidade do elenco na temporada 2018-19 são os números: foram 81 gols na Bundesliga — ficando atrás apenas do campeão alemão. Os destaques ofensivos ficaram por conta de Paco, Sancho e Reus, que, juntos, somaram 47 gols.

Foto: Reprodução/BVB
Foto: Reprodução / BVB

Os três principais goleadores estão mantidos, em especial Sancho. Uma das principais revelações da Europa, o jovem inglês, de 19 anos, obteve fortes rumores de gigantes do velho-continente; o Manchester United foi quem esteve mais perto de leva-lo.

Com base ofensiva mantida, apenas Pulisic saiu, mas, ainda assim, não foi considerado uma grande perda por parte dos torcedores, tendo em vista as chegadas de Brandt e Hazard. Os dois reforços (renomados), marcaram no último período 10 e 13 gols, respectivamente. As duas novidades só agregam, ainda mais, um ataque já interessante e que se comprovou muito técnico na última temporada. Um elenco recheado de opções ofensivas de qualidade não era visto a alguns anos por Dortmund, o investimento feito o coloca em condição competitiva para, enfim, romper soberania do Bayern de Munique.

Retorno de Mats e contratação de Schulz

O setor mais criticado do Borussia Dortmund na última temporada foi, sem dúvidas, a defesa. Isso porque nenhum dos jogadores defensivos que passaram pelo setor se firmou — exceção de Akanji. O técnico Lucien Favre teve muita dor de cabeça referente a seus defensores. O Dortmund encerrou a temporada com incríveis três improvisações em um sistema defensivo que era composto por quatro jogadores — Diallo, Akanji, Weigl e Wolf —, apenas Akanji era da posição.

A fim de solucionar grave problema, foram feitas as contratações de Nico Schulz (€27 M) e Hummels (€ 30,5 M), que somaram um total de 57,5 milhões investidos, significando 45% do investimento do BVB apenas para a defesa — tão contestada por parte de torcedores e imprensa.

Mats Hummels se tornou a contratação mais cara da história do clube, ultrapassando Andre Schurrle (€ 30,0 M). O investimento de 30 milhões e meio de euros no jogador simboliza sua identificação com a equipe, a confiança da diretoria em seu futebol e o grave problema do setor, que necessitava de uma figura experiente e de liderança técnica.

Foto: Reprodução/BVB
Foto: Reprodução/BVB

Muitos questionaram o investimento feito para um jogador de 30 anos e que não vive seu melhor momento na carreira em comparação a anos anteriores, no entanto, sua identidade de oito anos pelo atual clube mais a técnica que ainda tem para oferecer, inegavelmente eleva o nível da defesa aurinegra.

Junto com o miolo de zaga, a lateral esquerda foi outro setor extremamente criticado. Por lá, passaram diversos jogadores e nenhum demonstrou confiança — o último foi Schmelzer, já a algum tempo. A chegada de Nico Schulz é para resolver, de vez, um problema que atormenta o Borussia Dortmund a algum tempo.

O ex-jogador do Hoffenhem obteve grande destaque na Bundesliga, o que originou em convocação para a seleção alemã. A torcida espera de Schulz uma solução para o fim de uma posição tão problemática. Diallo, zagueiro de ofício, era quem atuava pela posição.  

O fato é que o Dortmund soube enxergar bem o mercado e gastar do dinheiro que tinha — principalmente com a venda de Pulisic. A qualificação no elenco ofensivo de um ataque que já era muito produtivo e a contratação de dois (em tese) titulares absolutos para o setor de maior desconfiança da equipe, concerta as fragilidades que impossibilitou a equipe voos ainda mais altos, mas dado a atual realidade, o time se encontra com material para quebrar a hegemonia do Bayern.

MEDIA: 5VOTES: 5
VAVEL Logo