Emelec surpreende no Mineirão e quebra invencibilidade do Cruzeiro na Libertadores
Divulgação: Copa Libertadores/Twitter

Emelec surpreende no Mineirão e quebra invencibilidade do Cruzeiro na Libertadores

Com vários reservas em campo, Raposa leva primeiro gol na Libertadores e perde chance de se garantir na primeira colocação geral

gabriel_oandrea
Gabriel Andrea
CruzeiroFábio; Edílson, Fabrício Bruno, Léo e Egídio; Ariel Cabral (Robinho, intervalo), Jadson (Thiago Neves, min. 64), Henrique, Rodriguinho e Rafinha (David, intervalo); Sassá. Técnico: Mano Menezes.
Club Sport EmelecDreer; Paredes, Mejía, Vega e Estacio (Johnson, min. 70); Godoy, Queiróz (Dixon Arroyo, min. 77), Matamoros (Caicedo, min. 57) e Joao Rojas; Guerrero e Brayan Angulo. Técnico: Ismael Recalvo
Placar0-1, min. 40, Joao Rojas. 1-1, min. 66, Sassá. 1-2, min. 89, Bryan Angulo
INCIDENCIASCopa Libertadores - fase de grupos (rodada 6) - Grupo B. Estádio Mineirão

Cruzeiro recebeu, nesta quarta-feira (8), o Emelec, pela última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. A Raposa, que já havia conquistado o primeiro lugar no Grupo B, foi derrotada por 2 a 1.

O início de partida foi marcado por muita vontade por parte das duas equipes. O Cruzeiro forçava a velocidade de seus jogadores de ataque - principalmente Rafinha e Jadson - o que obrigava os argentinos a subirem sua primeira linha defensiva e tentarem jogadas mais ousadas no Mineirão. Essa era a estratégia inicial de Mano Menezes.

Aos 23 minutos, quase saiu um golaço que estufaria as redes da Raposa. Matamoros tentou de muito longe e chutou no travessão, com muita força, para a surpresa da torcida presente no estádio.

Depois do lance de muito perigo dos equatorianos, o adversário melhorou bastante em campo. Os comandados de Ismael Rescalvo vinham dando bastante trabalho, principalmente com os ataques centralizados.

Na marca dos 31 minutos, Cabral quase marcou um belo gol para o time da casa, de voleio. Henrique resvalou de cabeça e ajeitou com perfeição para o volante argentino bater bem e ver a bola passar a centímetros do gol de Esteban Dreer.

No final do primeiro tempo, Rafinha e Rodriguinho forçaram mais e apertaram a zaga do time equatoriano. O camisa 23 cruzeirense tentou de canhota no final e chutou com perigo contra a meta do Emelec.

Mas, aos 42, Rojas aproveitou a saída errada do Cruzeiro, chutou à distância e viu a bola pegar no travessão, batendo nas costas do goleiro Fábio antes de sair o primeiro da partida. O gol foi dado como “contra”, marcado pelo goleiro da Raposa. Com muita sorte, o time equatoriano abria o placar no Mineirão e o Cruzeiro perdia duas ótimas oportunidades para chegar à próxima fase da competição com a melhor classificação geral, sem levar nenhum gol nos primeiros seis jogos disputados. 

Para o segundo tempo, Robinho e David entraram nas vagas de Cabral e Rafinha para dar um gás a mais para o time celeste nos 45 minutos finais de partida. Um empate bastaria para o Cruzeiro terminar a primeira fase com a melhor campanha geral.

Com apenas três minutos, Rodriguinho foi lançado por Edílson no meio de campo e teve uma oportunidade ótima para empatar a partida, mas optou por chutar com a perna canhota e mandou sem perigo contra o gol do Emelec. Praticamente na jogada seguinte, Robinho cobrou o escanteio na cabeça de Fabrício Bruno e viu o zagueiro exigir uma boa defesa em dois tempos do goleiro Dreer.

Com 12 minutos marcados e muita presença de área, Rodriguinho deu um bom passe para o zagueiro Léo que, dentro da grande área, tentou uma bicicleta na tentativa de igualar o placar. Pouco tempo depois, foi a vez de Rodriguinho apostar em uma jogada plástica, mas jogar a bola por cima da trave do time de Guayaquil. As chances de gol a favor da Raposa eram inúmeras na segunda etapa.

De tanto apertar, saiu o gol do Cruzeiro, para o delírio do torcedor mandante. Aos 22 minutos do segundo tempo, Edílson lançou Léo, que serviu Sassá para chutar forte e empatar a partida no Mineirão. 1 a 1 e muita pressão azul no jogo. Foi o terceiro gol do Sassá em dez jogos realizados na temporada.

Com o gol marcado pelo time celeste, o Emelec se pôs à frente e sacou um lateral para botar um alto atacante, Johnson. O Cruzeiro seguia pressionando e buscava o gol da virada dentro de sua casa.

O juiz anulou o gol que deixaria o Cruzeiro na frente no placar depois de David marcar um bonito gol de cabeça, mas que estava em condição de impedimento. Os dez minutos finais foram marcados por ataques do time celeste, mas que não conseguia botar a bola no fundo das redes.

Na última jogada de perigo da partida veio o castigo para o time da casa. Angulo recebeu uma bela bola pelo lado esquerdo e foi derrubado por Edílson dentro da área. O próprio atacante foi para a bola e fez o gol da vitória para os equatorianos. 

Com a derrota, o Cruzeiro perdeu a chance de terminar a primeira fase de forma invicta e de ter a melhor campanha geral do torneio. A Raposa ficou na primeira colocação, com 15 pontos. Já o Emelec, encerrou a fase de grupos em segundo lugar, com nove pontos. Deportivo Lara e Huracán ficaram com cinco e quatro pontos, respectivamente.

VAVEL Logo