Cuca elogia grupo e comemora goleada sobre Chapecoense: “Dá
confiança e moral”
Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC

Cuca elogia grupo e comemora goleada sobre Chapecoense: “Dá confiança e moral”

Treinador do tricolor paulista ainda elogiou a atuação de Pato, Antony e Raniel na vitória do São Paulo por 4 a 0 no Morumbi

vv_cunha
Victor Cunha

No Morumbi, o São Paulo recebeu a Chapecoense na partida que fechava a 11ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro na última segunda-feira (22). Os mais de 30 mil torcedores que lá estavam puderam comemorar uma bela atuação tricolor, com uma goleada por 4 a 0. Os gols foram marcados por Antony, Toró, Raniel e Vitor Bueno

Em coletiva após a partida, Cuca explicou a alteração onde colocou Toró e Everton, tirando Pato e Luan, além de fazer uma análise da partida.

Na verdade, no primeiro tempo, tivemos uma posse de bola maior e controlamos o jogo. Até finalizamos mais, mas sem transição rápida e saída de jogo veloz. Estávamos lentos nesse quesito, aí embolava na frente e não achávamos os espaços. Com as duas mudanças, deixando o Tchê Tchê como segundo volante e Everton e Hernanes como meia. Um meia que tem visão de jogo e boa bola enfiada, que é o Hernanes, e um de condução rápida, que é o Everton. Na primeira já triangulamos e apareceu a velocidade. Aí você pega confiança no jogo. O torcedor passa a incentivar mais. As coisas fluíram muito melhor. Acho que o segundo tempo, apesar de termos tido, eu acho, menos posse de bola, foi um estilo mais vertical. A gente precisava muito de uma vitória convincente”.

Pato atuou apenas no primeiro tempo da partida. Apesar da substituição, Cuca elogiou o jogador. “Ele não fez um mal jogo, estava muito embolado pelo meio e precisávamos abrir. Ele errou umas duas ou três e o frisson veio. A gente confia e tem esperança de que vá ser um fator diferencial pra nós. Ele não estava fazendo um mal jogo, apenas uma opção (a mudança), a entrada do Toró, pra dar uma velocidade, junto com o Everton, junto com o Tchê Tchê, pra dar uma saída de jogo e uma velocidade pra surpreender a Chapecoense. E deu certo”.

Para Cuca, a partida contra a Chape não valia apenas os três pontos. O técnico explicou o porquê disso. “Hoje tinha muita coisa em jogo. Eram sete posições. Se pula de 15º pra uma disputa de Libertadores. Você pula de seis partidas sem vencer para cinco invicta. Você pula de um ataque muito ruim para um ataque bom, com uma das três melhores defesas do campeonato. Ela se junta com o grande jogo que fizemos contra o Palmeiras. Dá confiança e moral. Trabalhar pra sábado fazer outro grande jogo lá no Rio e, se Deus quiser, buscar outra vitória”.

Antony, autor do primeiro gol, foi elogiado pelo comandante, por conta de sua atuação e pelo jogador ter escolhido renovar seu contrato.

A gente tem que enaltecer a postura do Antony. Lógico que ele vai embora, não hoje, mas ele vai. Quem sabe em um momento melhor até. Ele fez uma grande partida, foi coroado com o gol. Na situação que a gente se encontra, é uma coisa maravilhosa para o torcedor entender que, em um momento difícil do clube, um jovem serve de exemplo para muitas coisas. Estamos muito felizes e contentes com ele. Que ele faça um grande campeonato e nos ajude. O dia que chegar o momento certo para sair, ele vai sair, vai ser bom para ele e para o São Paulo”.

Cuca comentou também sobre a necessidade de um camisa número nove: “Quando você monta uma engrenagem no futebol, precisa de um pouco de cada coisa. Tem dias que você não precisa de um nove. Hoje precisou. Às vezes precisa de uma bola trabalhada, um pivô e o Raniel fez isso hoje. Com esse gol ele tem tudo pra adquirir confiança”.

O São Paulo volta a campo no próximo sábado (27), às 19h, quando enfrenta o Fluminense, no Maracanã. Já a Chape joga às 11h do domingo (28), às 11h, recebendo o Bahia na Arena Condá. Ambos os jogos são válidos pela 12ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

VAVEL Logo