Com
superioridade, Vasco bate líder Coritiba em São Januário e encosta no G-4
Foto: Rafael Ribeiro/Vasco da Gama

O Vasco conquistou uma importante vitória sobre o líder Coritiba pelo placar de 2 a 1 neste sábado (16) pela 30ª rodada da Série B do Brasileirão 2021. Em São Januário, com a presença de 6.245 torcedores que muito cantaram e comemoraram, Cano e Nenê fizeram os gols da vitória, enquanto Léo Gamalho descontou bem antes do primeiro minuto do segundo tempo.

O confronto envolvia o desejado G-4 do campeonato, mas de formas diferentes. Enquanto o Cruzmaltino, no oitavo lugar com 43 pontos precisava conquistar os três em casa para se reaproximar do grupo de acesso (diminuindo a diferença de sete pontos para o Avaí), o Coxa queria se isolar ainda mais como líder. Ganhando como visitante, abriria cinco pontos de vantagem para o vice Botafogo, que já havia jogado na rodada, superando os 54 pontos com que entrou em campo.

O time carioca vinha de derrota (para o Sampaio Corrêa por 1 a 0), mas de três vitórias seguidas e cinco partidas sem perder antes disso. Já o paranaense tinha deixou de se fixar ainda mais no primeiro lugar nas últimas rodadas: foram uma derrota e dois empates, além de apenas uma vitória nos últimos cinco jogos.

Estratégias

Fernando Diniz continuou sem poder contar com Andrey, que passou mal durante a semana e acabou não finalizando sua recuperação da lesão na coxa. A surpresa foi no gol: Vanderlei foi barrado por opção técnica, e Lucão teve outra oportunidade. De resto, a equipe escalada foi a mesma que começou contra o Sampaio. Novidade apenas no banco, com Léo Jabá voltando a ser relacionado após dores nas costas. Esquema tático: 4-1-4-1. Lucão no gol. Na zaga, Ricardo Graça e Leandro Castan. Nas laterais, Zeca improvisado pela direita e Riquelme pela esquerda. Bruno Gomes foi o nome mais recuado no meio-campo, que também contou com Marquinhos Gabriel e Nenê na criação das jogadas e com Morato (direita) e Gabriel Pec (esquerda) na velocidade pelos corredores. E, no ataque, o artilheiro Germán Cano aparecia centralizado cuidando da área.

Gustavo Morínigo teve o retorno de Waguininho após se recuperar de lesão na coxa, mas o atacante começou no banco. O volante Val era dúvida, mas foi para o jogo. Já Willian Farias e Matheus Sales foram desfalques para o meio-campo, enquanto o meia Rafinha foi barrado por opção. Esquema tático: 4-3-3. No gol, Wilson. Natanael na lateral-direita, Guilherme Biro na esquerda, com Henrique e Luciano Castan formando a dupla de zaga. No meio-campo, Val e Jhony ficaram responsáveis pelo primeiro combate e transição ofensiva; mais à frente, Robinho foi o jogador da construção ofensiva. E, mais adiantados, Matheus Alexandre atacava pela ponta-direita, Igor Paixão pela esquerda, e o goleador Léo Gamalho tomava conta da área.

Cruzmaltino domina líder no primeiro tempo e larga na frente

A primeira etapa pertenceu ao time da casa, não ao líder do campeonato. O Vasco foi superior em posse de bola, atitude e finalizações do início ao fim, com o Coritiba indo para o intervalo sem qualquer chance de gol ou mesmo de assustar o goleiro Lucão. Logo nos minutos iniciais, a equipe carioca ficava com a bola, trocava passes usando boa parte do campo, porém explorando mais o corredor esquerdo com Pec. Já a paranaense focava no seu corredor direito de ataque com Matheus Alexandre, mas as subidas não foram frequentes.

O Cruzmaltino, como tem feito nas últimas partidas, usava bastante os lados do campo e a velocidade. Do outro lado, o Coxa não postava marcação adiantada, deixando o Gigante da Colina sair tocando. Contudo marcava forte no campo defensivo, congestionando especialmente dentro da área. Aos 17 minutos, eram 72% de posse de bola para os cariocas. Até que, aos 18, Nenê deu assistência para Gabriel Pec finalizar na área, Wilson defendeu, mas deu rebote nos pés do artilheiro Cano, que não desperdiçou e concluiu para abrir o placar. Os paranaenses, então, subiram a última linha de marcação, impondo certa dificuldade à saída de bola vascaína.

O Vasco passou um período sem chegar mais na área adversária, porém o Coritiba também não conseguia atacar. Léo Gamalho não era acionado, pouco participando do jogo. A opção escolhida pelo time visitante foi o passe longo da defesa para o ataque, que não foi executado com a precisão necessária. Ainda aos 37 do primeiro tempo, Matheus Alexandre saiu para a entrada de Rafinha, mais ofensivo, na tentativa de dar alguma movimentação na frente. O Coxa conseguiu nenhuma construção de jogada ao longo de toda a etapa. Mérito também para a marcação do Cruzmaltino, que bloqueou chutes e desarmou lances adversários para impedir a chegada da bola na sua área. Números parciais: 52% de posse e 7 a 1 em finalizações, ambos favoráveis ao mandante.

Coxa empata, melhora, mas é dominado novamente

Gustavo Morínigo resolveu voltar com Gustavo Bochecha no lugar de Jhony no meio-campo. Mas a análise da alteração precisou esperar, pois, com somente 15 segundos da etapa final, um cruzamento da direita, Ricardo Graça escorregou e deixou a bola passar, chegando nos pés do goleador Léo Gamalho, que chutou rasteiro e acertou o canto de Lucão para empatar muito cedo pelo líder do campeonato. Só que as coisas ficaram ainda mais animadas nesse início de segundo tempo. Aos dois minutos, Riquelme chutou cruzado da esquerda, Cano desviou na frente do gol, e Nenê empurrou para dentro para recolocar o Vasco à frente no placar.

O gol chegou a ser anulado pela arbitragem em campo por impedimento, porém, depois de quase cinco minutos de análise pelo VAR, foi validado. E o time da casa queria mais, pressionando a saída de bola do Coritiba. Gustavo Bochecha entrou bem, encontrando bons passes na armação e ajudando sua equipe a permanecer mais no ataque. Do outro lado, Cano conseguia mais conclusões perigosas, buscando seu segundo gol. Pelos paranaenses, Robinho deu vez a Waguininho, ou seja, um meia por um atacante, com o técnico querendo avançar ainda mais. O time visitante seguia com mais posse de bola que a sua própria no primeiro tempo, tentando deixar tudo igual novamente.

Mas quem roubava a cena era Riquelme, tendo mais uma boa atuação na lateral esquerda vascaína, principalmente no setor ofensivo, com velocidade e drible. Morato e Pec foram substituídos por Rômulo (para marcação) e MT (para rapidez no contra-ataque, o que cumpriu). O Cruzmaltino estava, claramente, à vontade em campo, em especial pela esquerda com Riquelme, abusando do drible e da atitude ofensiva para animar ainda mais a torcida aos gritos de “olé”.

Morínigo ainda sacou Igor Paixão para a entrada de William Alves, enquanto Diniz colocou Léo Jabá e Léo Matos nas vagas de Nenê e Zeca respectivamente. O Coxa seguia preferindo lançamento a construção de jogada, mas vinha exigindo atenção do goleiro Lucão e da zaga vascaína apesar de não assustar tanto. Ainda deu tempo de Riquelme sair para a entrada de Wálber. Porém foi só, importante vitória vascaína sobre o líder. Números finais: 52% de posse e 12 a 10 em conclusões para os cariocas.

Classificação e próximos compromissos

Somando os três pontos em casa, o Vasco saltou para a sexta colocação, passando para 46 pontos e ficando a quatro do Avaí no G-4, mas que ainda joga na rodada. Por outro lado, com a segunda derrota seguida e agora há quatro jogos sem vencer, o Coritiba permanece na primeira posição da Série B com 54 pontos, porém deixando de aumentar uma distância que seria importante para as pretensões de título e acesso.

O próximo compromisso do Cruzmaltino é fora de casa contra o Náutico apenas no domingo que vem (24) às 16h. Já o Coxa volta a campo antes, na próxima terça-feira (19) às 21h30, quando recebe o Sampaio Corrêa.  

VAVEL Logo