Em jogo de sete gols, França derruba Argentina e avança na Copa do Mundo

Em jogo de sete gols, França derruba Argentina e avança na Copa do Mundo

Mbappé brilha, marca dois gols e equipe francesa elimina argentinos, encerrando sonho de Messi de conquistar o título mundial na Rússia

mathenrique
Matheus Henrique
FrançaLloris; Pavard, Varane, Umtiti, L. Hernández; Kanté, Pogba, Matuidi; Mbappé, Giroud, Griezmann. Técnico: Didier Deschamps
ArgentinaArmani; Mercado, Otamendi, Rojo, Tagliafico; Mascherano, Banega, Enzo Perez; Pavón, Messi, Dí María. Técnico: Jorge Sampaoli
Placar1-0, min. 13, Griezmann. 1-1, min. 40, Dí Maria. 1-2, min. 2, Mercado. 2-2, min. 11, Pavard. 3-2, min. 18, Mbappé. 4-2, min. 22, Mbappé. 4-3, min. 47, Aguero.
INCIDENCIASPartida válida pelas oitavas de final da Copa do Mundo 2018, disputada na Arena Kazan, em Samara, na Rússia.

A França é a primeira classificada à fase de quartas de final da Copa do Mundo 2018. Em Samara, na Arena Kazan, os Bleus eliminaram a Seleção Argentina por 4 a 3, com gols de Griezmann, Pavard e Mbappé (2x). Pelo lado argentino, Dí María, Mercado e Aguero marcaram no movimentado confronto.

Copa da Rússia faz história com recordes e uso de tecnologia

A primeira partida da fase de oitavas de final do Mundial marcava um confronto entre favoritas para conquistar o troféu da competição, porém, que viviam momentos completamente adversos. Enquanto os franceses se classificaram em primeiro lugar no Grupo C sem muitas dificuldades, os argentinos por pouco não voltaram para casa logo na primeira fase, após passar por carimbando seu passaporte rumo à Kazan apenas na última partida  

A diferença do desempenho entre as equipes foi gritante na primeira etapa. Devido ao baixo desempenho inicial da equipe de Jorge Sampaoli, muitos apontavam para uma vitória fácil da França. O resultado não se deu no placar, mas se viu no desenvolvimento das jogadas. A Argentina optou por jogar sem um homem de referencia e a responsabilidade das jogadas ficou nos pés de Messi e Banega. Com isso, passou por dificuldade extrema nas tentativas de levar perigo ao gol adversário. Por outro lado, a França, sobrando organização e objetividade, causava temores aos torcedores argentinos na maioria das jogadas.

Sonhei com Porsche, mas não passava de um Fusca mal reparado: hecatombe alemã

O primeiro aumento considerável nos batimentos cardíacos dos torcedores no estádio se deu aos sete minutos, quando Mbappé sofreu dura falta de Mascherano próximo à meia-lua do campo de ataque francês. Na cobrança, Griezmann acertou o travessão de Armani e aumentou a confiança de sua equipe. Aparentemente, essa confiança foi totalmente repassada para o jovem Mbappé tentar novamente uma jogada de efeito... e que jogada. Aos 10 minutos, o atacante de 19 anos roubou bola em seu campo de defesa, atravessou o território e chegou até à grande área adversária, onde foi derrubado por Rojo e foi marcado o pênalti. Na cobrança, Griezmann não foi atrapalhado pela trave e bateu no canto oposto de Armani, abrindo o placar da partida. 

Atrás no placar, a Argentina iniciou a busca do gol de empate, porém, sentia dificuldades sem um homem de referência e as tentativas de jogadas não se concretizavam. A resposta francesa veio com objetividade. Aos 18 minutos, Pogba observou a linha alta da defesa argentina e lançou Mbappé, que infiltrava em velocidade. O menino se direcionava novamente ao gol de Armani e foi derrubado outra vez, no entanto, fora da área. Na cobrança, Pogba buscou melhorar a - quase perfeita - cobrança de Griezmann, mas jogou a bola por cima do alvo.

Após o gol, a França tomou a estratégia de deixar a bola nos pés argentinos e se fechar na defesa, num interessante ato de inteligencia de Deschamps, já que as jogadas adversárias não se desenvolviam e acabavam em posse francesa. O resultado disso se deu em algumas boas saídas em contra-ataque, principalmente pelo lado direito, com o camisa 10 Mbappé, porém, o segundo gol francês não saiu. A superioridade do futebol francês foi visível durante todo o primeiro tempo, no entanto, há coisas que somente o futebol proporciona.

Foto: FIFA/Getty Images
Foto: FIFA/Getty Images

Sem bom aproveitamento na construção de jogadas e sofrendo na defesa, a Argentina buscava o gol de empate na luta, pedindo aos deuses para igualar o marcador. Aos 40 minutos, a 'luz' foi vista nos pés de Dí María, que estava apagado na partida, junto de seus companheiros. O camisa 11 arriscou chute de fora da área, pegou com precisão e a bola se direcionou ao ângulo de Lloris, que não conseguiu alcançar e a pelota beijou o fundo das redes. O gol serviu para restaurar a confiança e alegria dos argentinos em campo, em Kazan e no resto do mundo.

Sendo assim, Messi e cia. voltaram para o segundo tempo a todo vapor, com postura completamente diferente da observada na primeira etapa. Logo aos dois minutos, o sonho inesperado aconteceu. Banega cobrou falta conhecida como "escanteio de mangas curtas", lançou na segunda trave e zaga francesa afastou. No rebote, Messi chutou para o gol, Mercado desviou no meio do caminho e a bola se encaminhou lentamente para o fundo das redes, mudando todo o rumo da partida e levando os argentinos à loucura.

Foto: FIFA/Getty Images
Foto: FIFA/Getty Images

No entanto, essa loucura quase foi interrompida aos 10 minutos, quando Fazio recuou perigosa bola para Armani, em lance clássico de falta de comunicação entre a zaga, e Griezmann roubou a bola. Ao atacante francês tentar fazer o gol de empate, o goleiro argentino se esticou com os pés e atrapalhou seu adversário, conseguindo impedir o tento contra sua equipe. O alívio pelo fim do lance foi unânime entre os hermanos, porém, não demorou um minuto para que a felicidade se travasse. Lucas Hernández, lateral francês, cruzou da esquerda e a bola foi afastada pela zaga argentina. No rebote, o outro lateral, Pavard, acertou belo chute de fora da área e empatou o placar da partida.

Após o gol de empate, a França voltou à ativa na partida e voltou suas atenções a comandar novamente o placar. Por outro lado, a Argentina buscava seguir firme na partida e seu sonho na competição. No entanto, Mbappé não queria saber do longo jejum de títulos adversário e tratou de pôr sua seleção novamente à frente no marcador.  Aos 18 minutos, o perigo veio por outra vez através dos pés do lateral-esquerdo Hernández, que cruzou para o meio da área. O jovem atacante aproveitou confusão na área após cruzamento, puxou para a perna esquerda e chutou firme no fundo das redes de Armani.

Foto: FIFA/Getty Images
Foto: FIFA/Getty Images

Parecia que o dia era de Kylian Mbappé. Com apenas 19 anos, vestindo a camisa 10 de uma seleção com tantas tradições no futebol, o atacante estava com fome de bola desde o início da partida. O gol da virada, além da participação direta no primeiro gol, não eram suficientes para ele, que ainda buscava mais. Apenas quatro minutos após seu gol, Mbappé novamente apareceu, desta vez com incrível auxílio do resto de sua equipe. Elogiada durante toda a competição por conta de sua organização e jogadas trabalhadas, a equipe de Deschamps demonstrou o porquê de ser apontada como uma das favoritas ao troféu da Copa do Mundo. Após reposição de bola, a bola passou por todos os setores da equipe e, em apenas seis toques, a bola percorreu o campo inteiro até chegar no jovem craque, que chutou rasteiro para fazer o quarto gol da partida.

Atrás no placar e precisando se arriscar no confronto para seguir na competição, a Argentina usou a estratégia do "tudo ou nada" e os problemas na estruturação da equipe ficaram expostos. Com substituições visando preencher o ataque, a zaga argentina ficou desprotegida e os erros de passe presentes há tempos na equipe abriram margem à contra-ataques da equipe francesa, no entanto, que não resultaram em mais gols dos franceses, mas sim, dos argentinos. Já no final, aos 47 minutos, Messi cruzou para a área e achou Kun Aguero, que cabeceou para o fundo das redes.

Foto: FIFA/Getty Images
Foto: FIFA/Getty Images

O gol deu esperanças aos argentinos, que se levaram ao ataque para tentar o inesperado empate. A primeira tentativa acabou em início de confusão, após Otamendi chutar bola em Pogba, que estava caído por sofrer falta. Depois, a Argentina tentou novamente na base do cruzamento na área, porém, sem o mesmo fim. Ao fim da partida, a França se candidatou de vez como uma das postulantes ao título da Copa do Mundo.

Como destaque individual da vitória por 4 a 2 dos franceses, o jovem Kylian Mbappé se candidatou como forte nome para levar sua equipe ao título e se tornar o melhor jogador do campeonato, com apenas 19 anos. Por outro lado, Lionel Messi tem novamente seu sonho de se tornar campeão do mundo interrompido, numa Argentina com mais problemas do que virtudes, seguindo seu jejum de 25 anos sem conquistar títulos.

VAVEL Logo

Ligue 1 - França Notícias

há 5 dias
há 5 dias
há 15 dias
há 17 dias
há 22 dias
há 22 dias
há 22 dias
há 24 dias
há 24 dias
há 24 dias
há 24 dias