França despacha Bélgica e garante vaga em sua terceira final de Copas de sua história

Equipe francesa marcou o gol no início da segunda etapa após um primeiro tempo equilibrado contra a Bélgica

França despacha Bélgica e garante vaga em sua terceira final de Copas de sua história
Umtiti garantiu o gol após subir mais alto em escanteio (Foto: Divulgação/FFF)
França
1 0
Bélgica
França: : HUGO LLORIS; LUCAS HERNANDEZ, SAMUEL UMTITI, RAPHAEL VARANE, BENJAMIN PAVARD; NGOLO KANTE, PAUL POGBA; BLAISE MATUIDI, ANTOINE GRIEZMANN, KYLIAN MBAPPE; OLIVIER GIROUD. DIDIER DESCHAMPS
Bélgica: COURTOIS; ALDERWEIRELD, KOMPANY, VERTONGHEN E DEMBELÉ; CHADLI, WITSEL E FELLAINI; DE BRUYNE, HAZARD E LUKAKU. TÉCNICO: ROBERTO MARTINEZ

Decidindo a primeira vaga rumo a tão sonhada final da Copa do Mundo, França e Bélgica se enfrentaram nesta terça-feira (10), em São Petersburgo. Os franceses, venceram por 1 a 0 com o gol do zagueiro Umtiti, e garantiram a presença em sua terceira final da história, acumulando 1998, 2006 e 2018.

Agora, a França aguarda a definição do confronto entre Croácia e Inglaterra que acontece amanhã (11) para marcar presença na final do próximo domingo (15), no estádio Luzhniki, em Moscou. Já os belgas enfrentam o derrotado do confronto da outra semifinal para disputar o terceiro e quarto lugar do Mundial, no próximo sábado (14).

Primeiro tempo aberto e movimentado

 Ao soar do apito, a França já começou em cima, impondo seu jogo com a velocidade de Mbappé pela ponta direita. Apesar de se mostrar mais rápida e superior de início, os franceses abriram espaço para a Bélgica crescer no confronto. 

Os belgas adiantaram a marcação, subiram com os três zagueiros para o campo defensivo da França e pressionaram principalmente com a velocidade de Eden Hazard, que armava um rebuliço na marcação dos Les Bleus quando tentava jogadas individuais.

Em um escanteio, o zagueiro Alderweireld pegou rebote dentro da área e fuzilou pra o gol. Entretanto, a marcação francesa falho, mas Lloris estava atento para executar uma defesa cinematográfica no chute do defensor.
 

(Foto: Divulgação/Fifa)

A França veio corresponder às pressões ao final da primeira etapa, quando Pavard recebeu passe de Mbappé, ficou cara a cara com Courtois, mas o guarda-redes de 1,99 metros, defendeu com os pés o chute cruzado.

Giroud ainda desperdiçou chances em bolas alçadas por Griezmann e Mbappé para dentro da área, mas os belgas ainda sim se mostravam superiores na primeira etapa, levando mais perigo à área francesa quando acelerava o jogo e sufocava os Les Bleus.

Pressão, contra-ataque e bola na rede

No início dos 45 minutos finais, a França foi quem sofreu pressão. Ao contrário da primeira etapa em que o confronto foi mais aberto, os franceses buscavam o contra-ataque para agredir a Bélgica.

Com os três zagueiros adiantados e os laterais atuando de alas, a Bélgica se expôs, errou na troca de passes e Mbappé arrancou pela ponta direita, inverteu o jogo com Matuidi que devolveu para o camisa 10 tocar de calcanhar para Giroud sair cara a cara com Courtois e finalizar em cima do goleiro, descolando um escanteio.

Na batida do tiro de canto, Umtiti subiu mais alto que Fallaini e cabeceou pra trás na primeira trave, mandando para o fundo das redes dos belgas.

Depois do gol, a equipe francesa se retraiu em seu campo de defesa e a Bélgica passou a rondar a área adversária. Lloris foi exigido com um chute de fora da área de Mertens, que entrou na segunda etapa para configurar mais agressividade nos belgas.

Atrás do placar, a Bélgica lançou diversas bolas na área, mas sem conseguir o arremate necessário para levar perigo, ou igualar o marcador. 

(Foto: Divulgação/Fifa)
(Foto: Divulgação/Fifa)

O confronto passou a ficar em um ritmo mais morno, com faltas frequentes que eram retardadas em seu tempo por conta da demora dos atletas franceses em reagir.

Didier Dechamps ainda promoveu as entradas de Tolisso e Nzonzi, que deram uma cara defensiva à França, o que claramente fez com que os belgas aumentassem sua pressão no campo de ataque.

Sem forças para manter o ritmo intenso no ataque, os belgas ainda deram espaço para a França no final. Segurando a bola no ataque, Mbappé serviu Griezmann na entrada da área, mas o canhoto finalizou com a perna ruim e Courtois defendeu sem dificuldades. Tolisso ainda recebeu na ponta da área, finalizou cruzado e o goleiro belga ainda fez defesa providencial.

Com a última chance criada pelos franceses, o confronto caminhou até o apito final, dando a vaga para os Les Bleus na final da Copa do Mundo 2018.