Meia de origem, Paquetá é destaque como centroavante no Flamengo de Rueda
(Foto: Rodrigo Rodrigues/Editoria de Arte VAVEL Brasil)

Começou a semana decisiva! Nesta quarta-feira (27), Flamengo e Cruzeiro fazem o segundo jogo da final da Copa do Brasil - a partida acontece no Mineirão, às 21h45. Destaque inesperado, Lucas Paquetá foi o responsável por abrir o placar do jogo de ida, no Maracanã. No entanto, além do gol, a cria da base rubro-negra tem se mostrado essencial em uma posição que não é a sua de origem: a de centroavante.

Às vésperas do confronto decisivo, a VAVEL Brasil decidiu fazer uma análise completa da joia rubro-negra. Meia de origem, Paquetá tem sido um dos principais nomes no ataque sob os comandos do treinador Reinaldo Rueda. Confira abaixo:

Destaque nas categorias de base e dificuldades com o crescimento

Nascido na Ilha de Paquetá - que dá origem a seu apelido -, Lucas chegou ao Flamengo ainda criança e foi destaque em todas as categorias que passou. O que poucos sabem é que, antes do sucesso no profissional, o atual camisa 39 do Rubro-Negro teve o dificuldades com seu corpo: por ser muito franzino, Paquetá não conseguia competir de igual para igual com os seus adversários. Por isso, o jogador de 20 anos se submeteu a um rigoroso tratamento com suplementação diferenciada, o que o fez ganhar quase 30 centímetros em três anos.

(Foto: Divulgação / CR Flamengo)
Registro do elenco campeão da Copinha de 2015 (Foto: Divulgação/Flamengo)

Em 2015, na 47ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior, Paquetá foi uma das principais peças na campanha do título do Flamengo. Com quatro gols e a vice-artilharia da equipe, as boas atuações lhe renderam uma vaga na seleção final do campeonato. Pouco tempo depois, o meia recebeu a oportunidade de se integrar ao elenco profissional do Rubro-Negro, figurando em alguns jogos do Campeonato Brasileiro no banco de reservas.

Início nos profissionais e poucas oportunidades com Zé Ricardo

Pouco após ser promovido ao profissional do Flamengo, Paquetá fez sua estreia no dia 5 de março de 2016. Na ocasião, o Rubro-Negro venceu o Bangu por 3 a 1, em partida válida pelo Campeonato Carioca. No entanto, mesmo com toda atenção que atraía, Paquetá não conseguia mostrar o seu futebol - com Zé Ricardo no comando, seu ex-treinador na base e na conquista da Copinha, foram apenas 182 minutos (seis jogos) de atuação no Carioca e 24 minutos (três jogos) no Brasileiro.

Seu primeiro gol só foi sair em 2017, mas a espera valeu a pena - foi um golaço! O meia balançou as redes na goleada por 4 a 0 sobre o Madureira. Paquetá enfiou a bola para Mancuello, mas o goleiro adversário cortou o passe fora da área; com isso, a bola reencontrou os pés do jovem atleta, que chutou de cobertura e fechou o placar da partida.

Paquetá se emociona na comemoração do seu primeiro gol como profissional (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
Paquetá se emociona na comemoração do seu primeiro gol como profissional (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Chegada de Reinaldo Rueda e a boa fase como centroavante

Lucas Paquetá tem recebido muito mais oportunidades desde a chegada de Reinaldo Rueda ao comando do Flamengo - e isos é indiscutível. Com o colombiano, o jovem fez sua primeira grande atuação e ainda jogou em uma posição com que tem pouca intimidade, a de centroavante.

No confronto em questão, o Flamengo venceu o Atlético-GO por 2 a 0, na Ilha do UrubuPaquetá deu muito trabalho à defesa adversária e inclusive deu uma bela assistência para um dos gols de Vinícius Jr. - a atuação do meia agradou tanto que Rueda decidiu elogiar o atleta rubro-negro em entrevista coletiva.

“No treinamento, testamos Paquetá na posição (de centroavante). O Lucas gostou, tem vocação ofensiva, tem muita vontade, faz muito bem os movimentos. Ele é muito ‘fino’, tem muita qualidade técnica. É importante ter um atleta como ele no ataque com sangria, agressividade ofensiva, muito importante”, disse Rueda.

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Na ida da final da Copa do Brasil, Paquetá jogou improvisado como centroavante em função das ausências de Paolo Guerrero (suspenso) e Felipe Vizeu (lesionado). Ainda assim, o meia surpreendeu, marcando o gol rubro-negro da partida. Depois desta partida, ele só não entrou em campo contra o Botafogo; o jogador também voltou a balançar as redes diante da Chapecoense na Copa Sul-Americana.

Em 11 partidas de Reinaldo Rueda no comando do Flamengo, Lucas Paquetá atuou em sete confrontos, tendo 328 minutos em campodois gols marcados

VAVEL Logo