Denílson admite que Rogério Ceni era 'chato para caramba', mas ressalta: "Encontramos um equilíbrio"
Denílson foi campeão do Campeonato Paulista 1998 pelo Tricolor (Foto: Divulgação/São Paulo FC

Hoje comentarista da Rede Bandeirantes, Denílson foi revelado e é muito identificado com o São Paulo. Ele também tem contato com uma série de nomes ligados ao Tricolor.

Em live no canal "Arnaldo e Tironi", mantido pelos jornalistas Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi no Youtube, ele contou histórias que possui com nomes históricos do SPFC. 

Muricy Ramalho

Denílson demonstrou imensa gratidão a Muricy Ramalho. A estreia do atacante na equipe profissional se deu sob comando do técnico tricampeão brasileiro pelo São Paulo.

"Minha estreia foi em um jogo da Copa Conmebol contra o Grêmio, em Porto Alegre. Ele virou para mim e falou que não espera nada mais e nada menos que tudo aquilo que eu estava fazendo no treino e tinha feito no juvenil. Ele me encorajou, fiz um jogo muito bom e a minha carreira profissional deslanchou", relembrou o atual comentarista,

A participação na Legends Cup, torneio de Masters disputado no Morumbi no dia 15 de dezembro de 2019, também foi marcante para ele.

"A princípio, achei que era um jogo de brincadeira. Mas, no jogo, quando chegamos no Morumbi, encontramos os atletas das outras equipes e todos fininhos, profissionais. Falei que a gente iria passar vergonha. Eu imagino que, para ele, também teve essa adrenalina. Ele ficou pegando no pé e eu fiquei puto. Vendo isso, você começa a entender porque o São Paulo ganhou tudo com o Muricy. Ele não relaxa, e também sabe passar a mão na cabeça". 

No certame, o São Paulo venceu Bayern e Barcelona e sagrou-se campeão do certame. O Borussia Dortmund também disputou o torneio.

Adriano Imperador

A lembrança com "Didico", como é carinhosamente chamado, poderia ser traumática. Por conta de um comentário, o centroavante ficou irritadíssimo com o ex-ponta, ameaçando, até mesmo, chegar às vias de fato.

"Ele tinha acabado de chegar no Corinthians e tinha se contundido. Falei que, para comentar a respeito, era necessário deixar ele se recuperar, pois ele não tinha jogado ainda. Eu estava em um bar no Tatuapé, inauguração de um bar do Rincón. Eis que alguém fala que o Adriano Imperador vai me pegar porque eu tinha falado mal dele. Peguei o telefone dele com o Joaquim Grava e conversei com ele a respeito. Nos acertamos. Dois minutos deles, ele me liga e fala para nos encontrarmos", riu Denílson.

Adriano jogou o primeiro semestre de 2008 no São Paulo. Em 28 jogos, anotou 17 gols.

Rogério Ceni

Para muitos, Rogério Ceni é o maior ídolo da história do São Paulo. Para Denílson, porém, um obcecado enquanto jogador.

"Era chato pra caramba quando jogava. Ele mais sério, eu mais brincalhão. Encontramos o equilíbrio, mas ele era chato. Ele era o primeiro a chegar e o último a sair, e queria que o companheiro fizesse o mesmo. Já comentarista, perguntei por que ele queria que os companheiros fossem iguais a ele. E o Rogério falou que isso foi um erro. Achei muito legal essa resposta dele, todo mundo dá um passo atrás. Pode ser que ele tenha se precipitado ao assumir o São Paulo de primeira, mas a prova tá aí, com o que ele vem fazendo com o Fortaleza", finalizou o atual comentarista.

VAVEL Logo