Resende melhora desempenho com elenco enxuto e pratas de casa
Paulo Victor comemora após segundo gol em dois jogos (Foto: Nayra Halm/Fotodojogo)

Com a derrota para o Volta Redonda na última quinta-feira, dia 2, o Resende encerrou sua participação no Campeonato Carioca 2020 com sensação de alívio. Durante a paralisação, apenas três pontos separavam o clube da lanterna. O Resende que se despediu da competição, no entanto, foi bem diferente do que a iniciou.

Como reflexo econômico da pandemia do coronavírus, o clube não renovou com grande parte das quase 20 contratações feitas para o estadual e contou com a juventude das pratas da casa para rechaçar as chances de rebaixamento. Até mesmo o respeitado treinador Edson de Souza, que já fez história comandando o Resende, não permaneceu.

Os números, antes da retomada do campeonato, eram desanimadores para o torcedor: seis pontos, com apenas uma vitória em nove partidas. Ficou para Sandro Sargetim, treinador da equipe sub-20, a missão de conquistar mais uma vitória em dois jogos restantes, para que o torcedor pudesse respirar aliviado.

Com o sinal de alerta ligado e muita preocupação do torcedor, a situação mudou para o Resende no primeiro jogo após a paralisação: 2 a 0 sobre o Madureira, com um futebol mais leve, dinâmico e alegre.

A alegria foi visível, por exemplo, no rosto de Paulo Victor, volante de 21 anos, revelado na base do Resende, que abriu o placar. Ele esperava por uma oportunidade desde que foi integrado aos profissionais, no início de 2019. Alegria também nas pernas de Jefferson, que entrou para incendiar o jogo em Conselheiro Galvão e estrear com gol com apenas 18 anos de idade.

Outras pratas da casa também ajudaram a dar um novo rosto ao time do Resende, como o zagueiro Joanderson, o lateral-direito Victor Marinho e o atacante Igor, destaque na Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano. Todos criteriosamente conhecidos e da confiança do treinador Sandro Sargentim.

Mesmo empolgado com a vitória sobre o Madureira, o Resende não conseguiu parar o Voltaço duas vezes semifinalista (Taça Guanabara e Taça Rio) e campeão da Taça Independência 2020. Mas o desempenho do “Novo Resende”, com média de idade de 23,5 anos, ensinou uma lição ao clube sobre a importância da inserção dos jovens da base no time profissional. A solução para as limitações do elenco na temporada poderiam estar ao alcance dos olhos o tempo todo. 

VAVEL Logo