Sob novo comando, CSA busca recuperação na Série B diante do embalado América-MG
Arena Independência, palco do confronto entre América x CSA | Foto: Mourão Panda/América-MG

No último fim de semana, América-MG e CSA tiveram pontos em comum. Ambos enfrentaram rivais em clássicos válidos pelo Campeonato Brasileiro da Série B 2020. Mas as semelhanças logo param. No lado mineiro, o Coelho venceu o Cruzeiro por 2 a 1 e manteve a boa sequência de resultados ao atingir quatro jogos sem derrota, o que comprova a ascensão do clube. No lado alagoano, o Azulão do Mutange foi derrotado pelo CRB por 2 a 0, a crise foi ampliada e a comissão técnica foi trocada a fim de evitar um desastre ainda na fase inicial da competição.

Com estes panoramas opostos, as equipes medem forças entre si na tarde desta quarta-feira (2), pela sétima rodada da Série B, em jogo a ser disputado na Arena Independência, em Belo Horizonte/MG. O América ocupa a sétima posição, com 11 pontos somados, enquanto o CSA ocupa a 17ª colocação, dentro da zona de rebaixamento, com apenas três pontos.

Fazer valer o mando de campo

Cotado como uma das equipes favoritas a brigar pelo acesso, a campanha do América-MG mostra que o time se esforça para estar nesse padrão – uma maneira também de evitar o sofrimento e amargor do ano passado, quando perdeu a chance de retornar à elite nacional na última rodada. A vitória no último fim de semana sobre o Cruzeiro mostra a recuperação do Coelho na Série B e a luta para entrar no G-4, o que pode ocorrer em caso de vitória nesta tarde.

Para o confronto diante do CSA, o técnico Lisca tem três desfalques no setor de ataque. Felipe Azevedo segue em recuperação após estresse na fíbula esquerda, enquanto Ademir e Felipe Augusto tratam lesões musculares na coxa esquerda. Com isso, a única dúvida é se Marcelo Toscano segue no time titular ou Léo Passos ganha a vaga. Caso Toscano permaneça, a formação inicial será a mesma que venceu o Cruzeiro. O volante Zé Ricardo afirma que a equipe ainda tem muito a evoluir e prega atenção para evitar as armadilhas da partida.

“A gente tem muito para melhorar, reconhecemos isso. Apesar de a gente ter ganho o jogo no segundo tempo, a gente poderia ter feito melhor, é um pensamento meu. A gente tem muito para crescer, muito a evoluir. É continuar com esse pensamento para gente poder alcançar nossos objetivos. Sempre quando vem um treinador novo, a equipe fica querendo mostrar serviço, é natural ter uma reação. Eles precisam dessa reação e a gente tem que lidar bem com isso, aproveitar o momento e buscar a vitória”, afirmou.

Choque para motivação

A diretoria do CSA não quis saber da rejeição da torcida e contratou novamente o técnico Argel Fucks para substituir Eduardo Baptista, demitido após a terceira derrota consecutiva na Série B, justamente no Clássico das Multidões contra o CRB. Argel abandonou a equipe a três jogos do fim da temporada passada para assumir o Ceará, concorrente direto do time azulino na luta contra o rebaixamento à Série B na época. A ideia da direção é trazer alguém que tenha intensidade no trabalho e à beira do gramado.

O time a ser escalado no retorno de Argel é um mistério, algo que ocorre poucas vezes em seus jogos. Após dois dias de treinamentos, 20 jogadores foram relacionados. O meia Andrigo e os goleiros Alexandre Cajuru e Thiago Rodrigues estão lesionados, o volante Marquinhos não foi relacionado por opção técnica, enquanto o meia Renatinho está de saída do clube. Quem também deixou a equipe foi o atacante Diego Maurício, negociado junto ao futebol da Índia. O treinador azulino afirmou as semelhanças em relação ao grupo comandado no ano passado, gostou da qualidade técnica e afirmou que o elenco precisa de mais intensidade para pontuar.

“Em 2019, o torcedor abraçou o time porque viu uma equipe competitiva, com sangue nos olhos, jogando um futebol ofensivo. Eu gosto desse tipo de desafio. Sei que o torcedor está chateado e com razão. O desafio é muito parecido com o que foi no ano passado. Precisamos formar um time mais competitivo, mais aguerrido. O time tem uma qualidade técnica muito boa, mas só a qualidade técnica não chega para conseguir o objetivo na Série B. Tem que pensar jogo a jogo. O que a gente tem observado é que esse grupo tem qualidade técnica. O que a gente promete é muito trabalho, muita dedicação. Precisamos dar uma resposta diferente já nesse jogo, mudar a atitude da equipe. Precisa ser competitivo, transpirar, ter uma estratégia de jogo, um padrão. Vamos para uma recuperação dentro do campeonato”, disse.

Ficha técnica de América-MG x CSA – Campeonato Brasileiro da Série B 2020, rodada #7

Arena Independência, em Belo Horizonte/MG – 16h30 desta quarta-feira (2)

América-MG – Matheus Cavichioli; Daniel Borges, Messias, Eduardo Bauermann e João Paulo; Juninho, Zé Ricardo e Alê; Matheusinho, Rodolfo e Marcelo Toscano (Léo Passos). Técnico: Lisca.

CSA – Bruno Grassi; Norberto (Diego Renan), Alan Costa, Luciano Castán e Igor Fernandes; Richard Franco (Márcio Araújo), Geovane e Nadson; Rafael Bilu, Michel Douglas e Rodrigo Pimpão. Técnico: Argel Fucks.

Arbitragem – Rodrigo Carvalhães de Miranda (CBF/RJ), auxiliado por Carlos Henrique Cardoso de Souza (CBF/RJ) e por Lilian da Silva Fernandes Bruno (CBF/RJ), com Antônio Márcio Teixeira da Silva (CBF/MG) como quarto árbitro.

VAVEL Logo