Após virada histórica, o Juventude volta à Serie A do Campeonato Brasileiro. Na tarde deste sábado, o Papo, superou o Ceará por 3 a 1 no estádio Presidente Vargas. O resultado positivo em solo cearense garantiu o acesso e o vice-campeonato da Série B.

Após a partida, os jogadores festejaram no gramado do estádio Presidente Vargas. Emocionado, Carpini classificou o feito como a "cara do Juventude" pela luta e sofrimento. "Muita emoção, né? Nós nunca escondemos as nossas limitações, nossas fraquezas, nossas dificuldades, mas nunca deixamos de lutar. Sem dúvida, hoje eu estou vivendo o melhor momento da minha carreira como técnico. Uma carreira ainda tão curta. Eu sei que foram muitos acertos, inúmeros erros, mas sem dúvida o Carpini que chegou em maio para agora em novembro, com esses caras aí, me fez um melhor profissional e melhor ser humano".

Alan Ruschel zagueiro/lateral do clube e atual capitão comentou sobre os altos e baixos da equipe no campeonato. "Foi assim o tempo todo, no campeonato inteiro. A gente perdeu no último minuto, ganhou no último minuto, empatou, sofreu o gol. Hoje teve o jogador expulso, que não era para ser expulso. Depois passamos com o jogador a menos. Eu sabia que não tinha feito o pênalti, que eu tinha pegado a bola. Aí podia acabar com o nosso planejamento o ano inteiro, porque o primeiro gol eu falhei, depois o pênalti. Então, a gente deu a volta por cima e está tudo certo."

Matheus Vargas deixou claro que o time é de guerreiros e ressaltou o companheirismo dos colegas. "Só quero enfatizar como que esses caras são guerreiros. Faz quatro meses, eu acho, cinco meses que eu cheguei, e o discurso era sempre de luta, de muito trabalho, porque o que os caras fizeram, dentro do começo, sair de uma zona de rebaixamento, sem perspectiva nenhuma de acesso. Ninguém acreditava além de nós, porque quando eu cheguei, a única pessoa que passou pra nós a confiança que a gente ia ter esse acesso era o Thiago Carpini, porque o que eles fizeram é fodido, eles merecem demais, tanto o Boza, o Zé, que estão desde o começo, o Thiago, o Couto, todos, todos estão de parabéns, porque o que eles fizeram pelo Juventude será difícil fazer novamente. Sair de uma 19º colocação e um acesso, mano, incontestável. A circunstância do jogo foi sofrida, mas eles mereceram demais, eles merecem todo o mérito, são totalmente deles."

Erick Fariasoutro jogador valioso do clube ressaltou o suporte da família na ajuda da conquista da vaga. "Cara, só a minha família sabe, só o grupo sabe o quanto eu trabalho, o quanto eu me dedico, o quanto eu estava querendo ajudar esse clube, que, desde a minha lesão, me deu todo suporte. Quando me contrataram, eu vim com a esperança de fazer gols, de viver, fazer isso que eu fiz hoje. Infelizmente, tive essa infelicidade da lesão. Mas, todo o tempo, toda a diretoria, toda a comissão técnica, todos os jogadores confiaram demais em mim, me deram muita força. Eu só tenho que agradecer a todo mundo, agradecer ao professor Thiago Carpini também, que até o final acreditou em mim, até o final disse que eu ia ajudar, mesmo com esse problema, e, graças a Deus, fui feliz."

Danilo Boza acrescentou na entrevista que o Ceará era um adversário muito bom e trouxe grandes dificuldades ara a conquista do acesso."Foi um jogo difícil, a gente sabia da dificuldade que o Ceará ia impor sobre a gente, mas a gente começou o jogo a milhão. Só que a gente deixou eles crescerem no jogo depois. Conseguimos o empate no primeiro tempo. Eu tenho certeza que aquele gol no primeiro tempo foi o gol que colocou a gente na série A. A gente voltou pro segundo tempo com bastante ânimo para conquistar essa vitória e nada melhor do que gol do Ruanzinho, que merece demais."

Reginaldo ressaltou o quão difícil foi a caminhada do clube para chegar ao acesso. "Desculpa a emoção porque esse momento a gente lembra tudo o que a gente passou, desde o começo da competição. A gente conseguiu dar a volta para cima e levar o Juventude para um lugar onde ele nunca deveria ter saído. O Juventude é um grande clube que tem uma estrutura maravilhosa, pessoas do staff maravilhosas que vivem o clube de verdade e eu tenho certeza que o Juventude voltou para Serie A para nunca mais sair."

Mandaca comentou sobre seu pedido a Deus para que fosse a série A como clube gaúcho. "Essa semana eu fiz um pedido a Deus: que ele me abençoasse aí com um gol, com assistência, da maneira que for, mas que fosse o suficiente para a gente voltar para a Série A. Eu sei que muita gente estava desacreditado já com um a menos. Mas, eu tenho uma coisa a dizer pra todo mundo, se tem Deus na frente nada é impossível. E ele provou isso aqui, a gente com um a menos, a gente conseguiu ganhar de 3 a 1. Só tenho a agradecer e fazer uma festa em Caxias do Sul."