Odair Hellmann destaca merecimento em vitória, mas espera dificuldades para volta contra Atlético-GO
Foto: Lucas Merçon / Fluminense F. C.

O Fluminense venceu o Atlético-GO por 1 a 0 nesta quarta-feira (16), no Maracanã, e saiu na frente na disputa por uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil.

A novidade na equipe comandada por Odair Hellmann foi a entrada de Luiz Henrique. Aliás, o comandante aprovou a atuação do atacante de 19 anos.

Vínhamos colocando ele mais pelo lado de campo. Eu não rotulo. Ele pode ser um atacante de lado de campo, pode ser um atacante por dentro. Hoje oportunizamos ele mais como centroavante, com característica bem específica de movimentação, de profundidade, mas agregando a imposição que ele tem de pivô, ao cabeceio, ele tem boa finalização. Acho que fez uma ótima partida em todos os sentidos. Não sentiu desconforto em relação aos movimentos, à função. Foi muito bem. Ganhamos mais uma opção nessa função, que é tão importante para o time. Temos o Fred, temos o Marcos Paulo que faz por dentro, temos o Felipe que estamos oportunizando novamente. Acho que ganhamos mais uma opção com o Luiz, que mostrou capacidade” disse Odair.

Mesmo com a vitória magra e com o gol tendo sido marcado contra, pelo zagueiro João Victor, Odair afirmou que o resultado foi merecido. E destacou que o jogo de volta também terá dificuldades.

Felizmente, conseguimos a vitória. E conseguimos porque insistimos na nossa construção, trocamos algumas peças para mudar as características do jogo, para que criássemos o volume, as oportunidades - que foram poucas para os dois lados -, mas que fomos criando até chegarmos ao nosso gol. Foi merecida a vitória, uma vitória por apenas um gol, que mostra a dificuldade que foi o jogo, e que mostra as dificuldades que teremos lá”.

Inclusive, durante a entrevista, o treinador foi questionado sobre o jogo de volta. No entanto, Odair Hellmann brincou e lembrou que antes o Fluminense enfrenta o Sport, fora de casa, pelo Campeonato Brasileiro.

Deixa eu ir para casa, Papito, tomar um "venenoso", descansar minha cabeça (risos). Será um jogo extremamente difícil. Ainda temos um jogo importante pelo Campeonato Brasileiro. Vamos dia a dia, jogo a jogo, para sempre entregarmos o melhor dentro do campo para nosso torcedor”.

E afirmou que pode fazer algumas mudanças na equipe devido ao grande número de jogos em poucos dias: “Agora é virar a chave. Confio no grupo. Os jogadores têm dado uma resposta muito boa, entrado muito bem. Faremos uma avaliação para domingo e colocar a equipe que está mais preparada, mais forte mentalmente, fisicamente, tecnicamente, para que consigamos uma boa vitória no Brasileiro também. Faremos esse estudo e essa avaliação em todos os jogos, enquanto não tivermos uma distância para poder recuperar melhor os jogadores”.

Odair aproveitou para dedicar a vitória ao preparador físico Eduardo Silva, o Dudu, que morreu nesta quarta-feira (16), aos 49 anos, vítima de um AVC. Os dois trabalharam juntos no Internacional.

Gostaria de oferecer meus pêsames à família do Dudu, preparador físico com quem tive a oportunidade e a honra de ter trabalhado no Internacional, eu como jogador, ele no início de carreira. Perdemos ele hoje, infelizmente. Ele estava tentando, lutando. Nós, como amigos, vínhamos mandando orações para que acontecesse o melhor. Recebi a notícia quando terminou o jogo. Eu estou triste. É um membro do futebol. Gostaria de fazer essa homenagem, dedicar a vitória ao Dudu. Força e luz à família para seguir em frente. Sentimentos ao Mano e ao Sidney, dois companheiros de trabalho de muito tempo com ele, que certamente estão bastantes tristes hoje. Essa vitória é em homenagem a tudo que ele fez no futebol”.

Ainda sobre Luiz Henrique, o treinador voltou a fazer elogios ele. Segundo Odair, o atacante tem excelentes características, tanto em parte técnica, quanto em valências físicas. Além disso, mostrou personalidade.

Ele tem valências físicas muito próximas ao Evanilson. É um jogador muito potente, de boa velocidade, de boa imposição jogando de costas também, que a função exige para dar sequência ao jogo. Ele me disse que já jogou nessa função ali também. Tem jogadores que têm características específicas para determinadas funções, mas tem jogadores que as características que ele tem propõem ao treinador, dentro de uma construção de equipe, abrir espaço para determinadas funções. Ele se sentiu muito bem. Têm outras características, uma primeira bola, uma disputa de bola aérea importante, pode se dar muito bem nessa função. É um atacante nato, que pode jogar solto, aberto, tem mostrado essa capacidade e esperamos que continue assim, está apenas no início”.

Sobre a lentidão da equipe, o comandante do Tricolor afirmou que essas oscilações vão acontecer em determinados momentos, em todos os times. E ressaltou que isso se deve ao pouco tempo entre uma partida e outra.

Os jogadores estão se entregando de todas as formas, de todas as forças, mas não tem jeito. Vai chegar uma hora que alguns jogadores vão sentir um pouco a sequência, a equipe, coletivamente, acaba sentindo também. No segundo tempo, melhoramos com a bola, de trocar o passe com um pouco mais de velocidade para desequilibrar o adversário”.

Na sequência, Odair Hellmann também fez elogios ao Atlético-GO e ao seu treinador, Vagner Mancini. E lembrou o confronto das equipes pelo Brasileirão, há duas semanas, quando ficaram no empate em 1 a 1, também no Maracanã. E desde então o Dragão está invicto no campeonato.

Quero fazer um elogio ao Atlético-GO e ao trabalho do Vagner. A partir do jogo que eles vieram aqui e conseguiram um empate, quando estávamos bem até a expulsão, eles conquistaram uma confiança que após esse jogo eles venceram o Vasco e o Bahia, empataram com o Grêmio com mais chances de vencer, o que mostra que é uma boa equipe, extremamente competitiva e que ganhou confiança. Foi um enfrentamento muito difícil. Parabéns ao Vagner e à equipe adversária pelo trabalho”.

No fim do jogo, o Fluminense tinha cinco garotos da base em campo. Além de Luiz Henrique, Marcos Paulo, Miguel, Calegari e André tiveram oportunidade na partida. Odair Hellmann frisou que continuará dando chances aos jogadores mais novos, que estiverem evoluindo.

Muita gente fala que não oportunizamos os garotos da base. Terminamos o jogo com três na frente, o Calegari e o André, cinco no total. Evanilson estava aqui, foi vendido, gerou uma parte financeira para o clube, agora abre oportunidades para outros. Tem outros jogadores nesse trabalho de integração com o Sub-23 e a base. Fluminense sempre foi gerador de jogadores. Estamos oportunizando e continuaremos. Não tenho problema com idade. Oportunizo aquele jogador que está evoluindo no dia a dia, nos jogos, que está mostrando capacidade. Eles estão de parabéns e todo o trabalho integrado também. Isso mostra que o trabalho da base é bom e estamos conseguindo dar oportunidades”.

E finalizou falando sobre a preparação para o jogo contra o Sport:

O Fluminense precisa manter padrão de atuação técnica, construção de jogo, mesmo atuando fora de casa, estar organizado dentro do jogo. E buscar recuperar o máximo possível os jogadores. Conversar com a parte científica do clube para possibilidade de oportunizar outros jogadores, em razão do desgaste pela sequência, para montarmos a equipe mais forte em todos os sentidos contra o Sport, que teve uma semana para trabalhar e recuperar os jogadores, vem de uma retomada com o Jair. Partida extremamente difícil, mas que queremos um bom resultado. Mas para isso, precisamos descansar, treinar posicionamento e tomar as melhores decisões para levar o time mais forte, física e tecnicamente” encerrou.

O duelo com o Sport será no próximo domingo (20), na Ilha do Retiro, às 20h30. O confronto é válido pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor é o oitavo colocado, com 14 pontos.

VAVEL Logo