Após vitória no Independência, Turco exalta atuação do Atlético-MG: "Equipe foi muito intensa"
Foto: Pedro Souza/Atlético

Na noite de sábado (14), o Atlético-MG venceu seu xará goiano, Atlético-GO, no Independência por 2 a 0 pelo Campeonato Brasileiro. O Galo não vencia há quatro partidas, foram três empates e uma derrota. Desta vez, não deu para o fantasma do empate assombrar o alvinegro, que esteve com as rédeas do jogo durante todo o tempo.

Na partida, os donos da casa sofreram apenas um susto, no primeiro minuto de partida. Após isso, o Dragão não teve espaço para jogar e o Galo simplesmente fez tudo o que quis e chegou ao gol, após jogada de escanteio. No segundo tempo, apesar das equipes estarem mais mornas e sem tanto ímpeto, parecia um reprise. Primeira chegada fora dos visitantes e depois dela, controle alvinegro e no último terço de jogo, o segundo gol, que selou a vitória.

Nos últimos jogos a equipe parecia perder o gás na segunda etapa, o que levava o adversário ao seu campo e dava os espaços que precisava para buscar o possível empate ou até mesmo a virada. Diferentemente destes jogos, neste, o Galo pressionou e sufocou o rival durante os noventa minutos. Quando desacelerava, buscava manter a posse de bola, envolvendo-os no jogo e trabalhando bem a bola.

Após a vitória, Turco Mohamed gostou da atuação da equipe e destacou a intensidade imposta, juntamente da pressão alta.

"A equipe jogou com bastante intensidade. Praticamente, com exceção da primeira jogada, não recebemos nenhum ataque do rival. A equipe foi muito intensa, pressionou muito e precisávamos de uma partida assim. Jogar dessa maneira, recuperar nossa intensidade, nos deixa mais tranquilo."

Com a volta de Hulk depois da suspensão e Keno, que voltou recentemente de lesão e tem ganhado minutos em campo, a pergunta que não se calava era sobre se, os titulares desta noite seriam a formação mais forte. Turco foi firme na resposta.

"Não. Isso é muito dinâmico. Porque agora, no próximo jogo, não teremos Keno. Eu tenho claro o time que irá jogar, mas às vezes há lesões, suspensões e acaba que não pode escalar determinado jogador. Há cansaço físico também. Teremos um novo jogo e sem Vargas e Keno para jogar na ponta esquerda outra vez. Vamos ajustar e procurar solução para que a equipe não perca a forma, intensidade e profundidade."

Turco também falou sobre como jogar contra uma equipe que se mantém em blocos baixos, na famosa retranca e como seu time precisa agir em momentos como este, com um jogo parado por faltas — como foi o caso da partida contra o Atlético Goianiense.

"Quando uma equipe maior enfrenta uma menor, o rival tende a jogar com os blocos baixos e foi durante toda a partida assim. Nós estávamos ganhando a partida e ainda assim, jogavam em blocos baixos. Não há espaços, mas tem que ter paciência, tem que saber trabalhar e manter essa intensidade para provocar erros do adversário."

Já projetando o confronto pela Libertadores na semana seguinte, contra a equipe do Independiente Del Valle, o comandante alvinegro também falou sobre como pretende entrar em campo e a atitude necessária.

"Imagino um jogo como o primeiro tempo que fizemos lá (Equador), onde pressionamos mais e fomos protagonistas. Jogando tendo o controle do jogo, como sempre fazemos quando jogamos em casa."

A partida contra o Independiente Del Valle, está marcada para quinta-feira (19) às 19h, no Mineirão. 

VAVEL Logo