Oswaldo de Oliveira: acompanhe ao vivo a coletiva após a demissão do treinador

Oswaldo de Oliveira: acompanhe ao vivo a coletiva após a demissão do treinador

+ Atlético justifica demissão de Oswaldo por 'falta de evolução'; repórter segue barrado no clube

Encerrada a coletiva de Sérgio Sette Câmara e Alexandre Gallo. 

Gallo: "A decisão foi técnica. Contratamos um time que pudesse executar um jogo melhor. Nós sentimos que não estava tendo evolução técnica. Fizemos um bom primeiro jogo, mas a evolução não veio acontecendo durante o caminho. Esse último jogo nos preocupou muito. O próprio jogo contra Patrocinense também, nós tínhamos que ter continuidade"

Sette Câmara: "Foi preocupante nossa atuação e medidas tinham que ser tomadas"

Sette Câmara: "Oswaldo de Oliveira é querido em todos os clubes que trabalhou. No Santos, no Rio, para nós ele vai deixar muita saudade. É uma amizade grande que espero que continuemos a ter. Espero que ele não fique com mágoa"

Sette Câmara: "Ele errou naquele dia, poderia ter tido a hombridade de admitir o xingamento.  Quem está testemunhando que ele xingou foi um colega de vocês. Teve gente de BH, gente da Globo, gente de Rio Branco. Ele poderia se adiantar para resolução dessa situação. Nós vamos analisar a situação dele, mas por enquanto permanece como está"

Sette Câmara: "Quando ele respondia outra pergunta, alguma coisa foi dita do seu lado direita e ele toma aquela atitude. Não digo que foi correto, mas ninguém tem sangue de barata. Acredito que todo esse quadro de pós-operatório, tensão e calor contribuiu para aquele momento para tirar satisfação"

Sette Câmara: "Na entrevista coletiva, eu não estava presente, então o que digo é do material que minha comunicação entregou. Pude perceber que ele respondeu a todas as perguntas que foram feitas. Deu pra notar que a pergunta desse jornalista o deixou irritado, mas ele respondeu"

Sette Câmara: "Ele é uma pessoa com 68 anos e sente o físico. No dia do jogo, todos nós sentimos a tensão daquele jogo. Foi um jogo difícil, o Atlético tinha a obrigação de se classificar"

Sette Câmara: "Oswaldo é uma pessoa espetacular. Tive o privilégio de ter convivido. Sinto muito a saída dele. Na semana passada, Oswaldo teve um problema sério, teve que contar com a ajuda de médicos. Teve que se submeter a uma cirúrgia dentária, tomar antibióticos e ficar de repouso. Tanto que não comandou o time contra a URT"

11:48 Presidente do Atlético Sérgio Sette Câmara espera anunciar a contratação de Cuca antes de conceder entrevista coletiva na Cidade do Galo. Por isso, o atraso para o início da declaração do dirigente atleticano

11:24 Coletiva de Sergio Sette Camara está atrasada. Equipe de imprensa arruma os equipamentos. 

10:58 Reportagem da VAVEL Brasil já está presente na Cidade do Galo para coletiva do presidente Sergio Sette Camara. Previsão de início às 11h. 

10:55 O repórter Leo Gomide, envolvido na confusão, anunciou a demissão do treinador através de sua rede social. 

10:50 Fim da linha para o técnico Oswaldo de Oliveira no Atlético-MG. O clube informou, ainda na noite dessa quinta-feira (8), a demissão do treinador. Ele não resistiu à polêmica com o repórter Léo Gomide, da Rádio Inconfidência, após o empate em 1 a 1 com o Atlético-AC, quarta-feira (7), no Rio Branco, pela primeira fase da Copa do Brasil.

Durante a entrevista coletiva pós-jogo, Oswaldo de Oliveira teve um atrito com o jornalista e quase foi às vias de fato com o profissional. Segundo o treinador, Gomide havia o xingado de "caralho". Entenda o caso clicando aqui.

Além da polêmica, os resultados negativos neste início de ano não ajudaram. No Campeonato Mineiro, onde o Galo é o terceiro colocado – cinco pontos atrás de Cruzeiro e América, líder e vice-líder, respectivamente –, a equipe teve duas vitórias, dois empates e uma derrota.

+ Oswaldo se defende após polêmica com repórter: "Ouvi o maior desaforo da carreira"

Oswaldo de Oliveira chegou ao comando do Galo na última semana de setembro do ano passado para substituir Rogério Micale. Ele teve um rendimento fraco à frente do time mineiro. Em 20 jogos, foram oito vitórias, nove empates e três derrotas. Aproveitamento de 55%. Segundo dados do Footstats, o rendimento de Oswaldo de Oliveira só não foi pior que o de Marcelo Oliveira e Micale desde 2012.

Após a classificação apertada à segunda fase da Copa do Brasil, o Atlético volta a campo neste sábado (10). Às 16h30 (de Brasília), a equipe atleticana recebe a URT, na Arena Independência, pela sexta rodada do Mineiro.