Alemanha repete resultado histórico, supera freguesia e goleia Itália na Nations League
Foto: Philipp Reinhard/Alemanha

Até hoje, nesta terça-feira (14), a Alemanha nunca havia vencido a Itália em competições oficiais e vinha de uma pesada freguesia, com quinze derrotas, nove vitórias e doze empates na história do confronto que teve seu início em 1923.

Os últimos três jogos disputados entre a Azzurra e a Mannschaft haviam terminado empatados em 1 a 1 mesmo com a Alemanha vivendo uma fase superior, o que gerou muito receio em torno da partida de hoje, especialmente ao se levar em consideração que os alemães haviam empatado as três partidas que disputaram nesta edição da UEFA Nations League.

A Alemanha entrou em campo precisando vencer para se manter na briga pela classificação e sem poder contar com Marco Reus, lesionado, Serge Gnabry, inicialmente poupado, e com os questionados Leroy Sané e Timo Werner no time titular. Já a Itália veio após dois empates e uma vitória contra a Hungria, se armando um 4-3-3 contando com um trio ofensivo formado por Matteo Politano, Giacomo Raspadori e Wilfried Gnonto

  • Domínio não traduzido e gols perdidos


Os primeiros minutos de partida foram bem estudados, mas logo aos sete, os alemães engataram a segunda marcha e chegaram em sua primeira finalização, com Sané batendo cruzado para fora, à esquerda do gol de Gianluigi Donnarumma e próxima à trave. No entanto, 30 segundos depois veio a resposta e Manuel Neuer , um dos grandes destaques da partida, foi obrigado a fazer uma defesa dificílima à queima roupa após finalização de Raspadori.

Aos nove veio a segunda chance alemã, após bom avanço em velocidade, mas Sané desperdiçou o ataque com um erro de passe durante a transição. Logo em seguida, antes mesmo que o time italiano pudesse respirar, o versátil Joshua Kimmich recebeu uma bola livre de marcação no centro da grande área após boa jogada iniciada por Niklas Süle ainda do campo de defesa.

A Alemanha seguiu exercendo uma forte pressão sobre a Itália e dominou o jogo, impedindo a Azzurra de criar chances e os compactando em suas linhas de defesa. Aos 15, os germânicos já sufocavam completamente seus oponentes, com 76% de posse de bola e três finalizações.

Aos 32 veio a segunda grande chance da Alemanha, onde após mais uma boa ligação entre defesa e ataque, Werner acionou Jonas Hofmann pela direita. Na finalização, Donnarumma fez boa defesa e segurou o placar para os italianos. 

Apesar do domínio alemão, o time seguia desperdiçando boas chances pelos pés de Sané e Werner, que quando recebiam a bola para finalizar com muito perigo, batiam em cima do goleiro, permitindo uma fácil defesa.

Aos 45 o domínio alemão enfim se traduziu em mais um gol: após cruzamento de Thomas Müller, Hofmann sofre pênalti e Gündogan ampliou na cobrança.

A Alemanha finalizou o 1º tempo com 75% de posse de bola e oito chutes ao gol, contra três da Itália, sendo que destes oito, sete foram de dentro da área, ressaltando a facilidade que os germânicos tiveram para trabalhar a bola e se aproximarem com perigo do gol de Donnarumma. Se por um lado a Alemanha teve domínio e acertou 93% de seus passes (357/393), a Itália foi descuidada e acertou apenas 96 dos 132 passes que tentou (73%).

Foto: Philipp Reinhard/Alemanha
Foto: Philipp Reinhard/Alemanha
  • A história sendo repetida

A Itália começou o segundo tempo tentando exercer certa pressão para buscar o resultado, ação que até então era plausível, mas logo aos cinco da etapa, o veterano Thomas Müller ficou com a sobra da bola na entrada da área e bateu entre Donnarumma e Spinazzolla para fazer 3 a 0.

Apesar de estar três gols atrás, a Itália continuou buscando o resultado e aos 13, chegou com muito perigo e quase chegou a marcar em impedimento, o que apenas não ocorreu porque, apesar da ilegalidade do lance, Manuel Neuer operou outro milagre para salvar o time alemão.

O segundo tempo foi seguindo mais balanceado, com a Itália pressionando os alemães que passaram a chamar seus oponentes para tentar subir no contra-ataque, e bastou apenas um minuto para que os germânicos fizessem história: entre os 23 e 24, Werner marcou dois gols em sequência, um após boa troca de passes no ataque e o segundo após saída equivocada de Donnarumma.

Mesmo com o 5 a 0 no placar, a Itália não se acanhou, continuou seguindo para cima dos alemães e obrigando Neuer a fazer boas defesas, mas aos 32, após chute cruzado, ele acabou espalmando após um chute cruzado e dando rebote para Gnonto apenas empurrar para o fundo do gol.

O resultado de 5 a 1, caso concretizado, teria sido a maior vitória da história do confronto, mas aos 49, no último lance da partida, Alessandro Bastoni fez o segundo gol italiano, igualando o placar ao 5 a 2 ocorrido em 1939, quando a Alemanha venceu um amistoso disputado entre as duas seleções.

  • Surpresa, pausa e próxima rodada:

Esta partida fechou a participação dos dois times na Nations Legue durante esta data FIFA e apesar do resultado elástico a favor dos alemães, tanto eles como os italianos seguem com chances de avançar para as semifinais. Na outra partida, a Hungria também goleou, vencendo a Inglaterra de forma surpreendente por 4 a 0 e assumindo a ponta do Grupo A3.

A próxima janela do torneio será no final do mês de setembro, onde tanto Alemanha como Itália enfrentarão Hungria e Inglaterra.

VAVEL Logo