Messi garante Chuteira de Ouro e Barça vira sobre Eibar, mas termina Espanhol como vice

Terminou o Campeonato Espanhol 2016/17. Neste domingo (21), o Barcelona recebeu o Eibar no Camp Nou pela última rodada da competição, precisando vencer e contar com uma derrota do Real Madrid para o Málaga. Na Catalunha, a equipe do trio MSN teve muitas dificuldades, mas triunfou de virada por 4 a 2. Porém, na Andaluzia, os comandados de Zinedine Zidane anotaram 2 a 0 sem problemas e confirmaram o fim da seca.

Com as vitórias dos dois gigantes, a Liga chega ao fim com o Real tendo conquistado 93 pontos contra 90 do Barça. O Eibar encerra a participação na temporada com a melhor campanha da história do clube: 54 pontos e 10ª colocação. Os gols blaugranas na última partida de Luis Enrique como técnico no Camp Nou foram marcados por Juncá (contra), Luis Suárez e Lionel Messi - duas vezes. O time basco foi às redes duas vezes com o japonês Inui.

No entanto, a temporada ainda não terminou para o Barcelona. A equipe catalã decide a Copa do Rei no próximo sábado (27), às 16h30 (de Brasília), contra o Alavés, no Vicente Calderón, em Madrid. O duelo será o último oficial da casa do Atlético, que bateu o Athletic Bilbao por 3 a 1 neste domingo e se despediu do estádio com três pontos.

Outro fato de destaque da última jornada foi que Lionel Messi chegou a 37 gols no campeonato e garantiu mais um Troféu Pichichi - dado ao artilheiro de La Liga - e também a Chuteira da Ouro da temporada europeia, superando o holandês Bas Dost, que chegou até o final com chances de ultrapassar o argentino na disputa. É a quarta vez na carreira em que o camisa 10 do Barça leva o troféu de grande matador do continente. Somando todas as competições de 2016/17, ele também está no topo da lista com 53 gols em 51 jogos.

Luis Enrique foi homenageado em seu último jogo como técnico do Barça no Camp Nou (Foto: Reuters)

Eibar sai na frente e Barça perde chances com Suárez

Antes do confronto, um bandeirão homenageou Luis Enrique, que sai do Barcelona tendo conquistado todos os títulos possíveis - entre eles, as duas ligas nos anos anteriores. Com a bola rolando, começo morno. Tanto que, aos seis minutos, os visitantes se aproveitaram para abrir o placar. Após cruzamento da direita, o japonês Inui apareceu sozinho nas costas de Sergi Roberto e concluiu de primeira. A redonda tocou no travessão e morreu no fundo do barbante de Ter Stegen: 1 a 0.

Logo após o gol do Eibar, os culés não empataram por culpa de um raro erro de Luis Suárez. A defesa armera errou feio e o uruguaio saiu com muito espaço, completamente livre na cara do goleiro Yoel, mas bateu de trivela para fora. Aos 12, o pistolero assustou de novo ao receber de Sergi Roberto, girar e bater perto da trave. Dois minutos mais tarde, Alba cruzou da esquerda e Suárez desta vez colocou na rede, mas quando já era assinalado impedimento do lateral-esquerdo ao ser acionado por Iniesta.

A partir daí, um então pouco participativo Lionel Messi passou a ser o centro do Barça. Aos 26, ele tabelou com Jordi Alba e Neymar, mas o brasileiro não deu sequência. Os defensores do Eibar fizeram grande primeiro tempo para cortar inúmeros passes finais desferidos tanto por Messi, quanto por Neymar e Iniesta. Em algumas situações, evitar a finalização das jogadas era impossível. Aos 32, por exemplo, Messi esperou Sergi Roberto correr pela direita e deu passe curto. O lateral ajeitou e Rakitic chutou forte para boa defesa de Yoel. Antes do intervalo, Suárez recebeu de Iniesta na cara do gol e outra vez parou no goleiro adversário.

Inui marcou duas vezes para o Eibar (Foto: Toni Albir/EFE)

Inui amplia vantagem, mas Messi, após perder pênalti, resolve para os mandantes

Para o retorno do jogo, Luis Enrique mandou André Gomes como lateral-direito, na vaga de Sergi Roberto, que sentiu problemas no músculo da coxa. E, com um minuto, Ter Stegen evitou o que seria o segundo gol de Inui ao defender conclusão rasteira do japonês - o segundo gol dele viria mais tarde. O susto fez com que os donos da casa crescessem. Aos quatro, Iniesta finalizou jogada de Neymar e mandou no cantinho, mas Yoel realizou nova bela intervenção. No rebote, Suárez buscou Messi na pequena área, só que errou o passe. No lance posterior, Iniesta esteve perto de marcar outra vez após jogada pessoal de Messi - Yoel salvou de novo.

Com 10 no relógio, Messi perdeu um gol que não costuma perder. Para ter marcado, aliás, nem precisava ser Messi. O lance inicou com lançamento de Iniesta para Suárez. Na cara de Yoel, o uruguaio rolou para Messi ampliar a vantagem entre os artilheiros da Liga. Mas não. O camisa 10 dominou, ajeitou e tocou de perna direita no contrapé do goleiro, só que para fora. Aí, valeu o famoso dito popular: ''Quem não faz, leva''. Aos 15 minutos, Kike levantou e Inui, novamente no setor direito de defesa do Barcelona, completou com batida de primeira. Mais bonito que o primeiro gol, mas com semelhanças: a bola tocou no travessão e entrou: 2 a 0.

A ''sorte'' dos mandantes foi que, dois minutos depois de tomar outro gol, conseguiu descontar. Na intermediária, Messi passou por três e deixou Neymar na cara do gol. O camisa 11 bateu de esquerda, rasteiro, no pé da trave. Na sobra, Juncá se atrapalhou e mandou contra o próprio patrimônio: 2 a 1. Aos 21, a parceria se repetiu: de Messi para Neymar. Mas, desta vez, de Neymar para fora, sem rebote. Aos 23, o árbitro Hernández Hernández apitou pênalti polêmico em lance envolvendo Jordi Alba. Na batida, uma pancada de Messi defendida brilhantemente por Yoel. Foi o primeiro erro desde a marca fatal do gênio nesta temporada.

Messi errou o primeiro pênalti na temporada, mas se redimiu logo em seguida e converteu (Foto: Reuters)

Aos 27, o Barcelona conseguiu o empate. Neymar bateu escanteio, Alcácer - que havia substituído Rakitic minutos antes - raspou de cabeça na primeira trave e Suárez esticou o pé na pequena área para igualar: 2 a 2. No minuto seguinte, Neymar arrancou pela esquerda e sofreu pênalti. O lateral-direito do Eibar, Capa, recebeu o segundo cartão amarelo - com justiça - e foi expulso. Messi chamou a responsabilidade outra vez, cobrou do mesmo jeito e Yoel não conseguiu evitar o gol, apesar de ter tocado na bola: 3 a 2.

No fim, a partida ficou extremamente aberta, com trocas de golpes lá e cá - mais para o lado barcelonista, como de costume. Até que, após Suárez perder outra chance absolutamente livre frente a frente com o goleiro, a bola voltou para a linha do meio e Messi dominou. Como se dissesse ''agora ninguém me para'', o camisa 10 arrancou, foi deixando todo mundo pelo caminho - com direito a finta desconcertante sobre Galvez - e bateu de perna direita para fazer o último gol de um Campeonato Espanhol em que foi artilheiro e melhor jogador com sobras, mas ficou sem a taça para colocar no armário.

VAVEL Logo