Rogério Ceni exalta Morumbi e Calleri, mas destaca que Palmeiras segue vivo
Foto: Paulo Pinto / São Paulo FC

Com grande exibição, o São Paulo venceu o Choque-Rei 334, contra o até então invicto Palmeiras, nesta quarta-feira (30), no jogo de ida da final do Campeonato Paulista 2022. Após a partida, realizada no Morumbi e vencida por 3 a 1, Rogério Ceni, treinador são-paulino, abordou diversos temas relacionados à peleja.

Antes de mais nada, Ceni tratou de deixar claro que o Paulistão ainda não foi conquistado. "Triste pelo gol sofrido, mas se você vendesse um 3 a 1 antes do jogo, você compraria. Se você fechasse um contrato antes do jogo, você pegava. É um jogo muito físico, que a gente possa fazer por merecer esse segundo jogo para trazer o título para o Morumbi", pontuou.

Em outro momento, Ceni elogiou o Verdão. "Acho que não é uma vantagem tão larga assim se tratando de Palmeiras. Se fosse uma equipe normal, eu consideraria, mas como tem uma equipe muito boa do outro lado, com sua torcida, a figura muda", comentou.

O lance mais polêmico da peleja também foi destacado pelo técnico. E fez questão de falar que não viu a jogada que gerou o primeiro tento são-paulino. "Eu não sei do conteúdo da entrevista do Abel, não vi o lance. Mas as pessoas que trabalham, comentaristas, disseram que foi pênalti. É o Claus no próximo jogo, é arbitragem correta. Fica tranquilo. Eu não vou reclamar dele no final do jogo, porque conheço o caráter e a arbitragem dele. Aí vai ser opinião de cada um", frisou.

O São Paulo FC, comandado por Rogério Ceni e atuando no 4-4-2, teve vantagem em todas as estatísticas da partida: 53% da posse de bola e 13 finalizações totais (contra cinco dos adversários) - sendo quatro certas. No 4-3-3 de Abel Ferreira, o SE Palmeiras teve dois chutes certos em direção ao gol.

Atmosfera, trabalho e Calleri

Nem só de elogios ao adversário foi feita a entrevista coletiva do treinador do Tricolor. Um ponto a ser destacado foi a torcida são-paulina, elogiada pelo clima que criou no Cícero Pompeu de Toledo. "Falei para eles que quando subissem, olhassem bem a arquibancada. Um cara que sobe com 60 mil pessoas aqui se torna um ser humano diferente, porque é curto, passa rápido", destacou.

A evolução do SPFC ao longo do Campeonato Paulista também foi relembrada pelo treinador. "Maior prazer que eu tenho: fui um atleta que evoluiu através da repetição e o que eu sempre deixava era meu melhor dentro de campo. Hoje eu me vejo neles, é prazeroso trabalhar com eles. Contra um time forte que é o Palmeiras, eles conseguem competir. Que continue dessa maneira, a única maneira para vencer", afirmou.

Outro ponto citado pelo do técnico foi direcionado a Jonathan Calleri. Ao falar sobre o atleta que anotou dois gols na peleja, o jogador respondeu a um elogio do argentino, que afirmou que Ceni é o melhor treinador com quem já trabalhou. "Agradeço o carinho dele. Ele trabalhou com o Slaven Bilic, croata, um baita treinador, sei que ele trabalhou com bons treinadores, é bondade dele. Conseguimos cumprir nos últimos jogos, mais pela disposição dos jogadores. Acho que o time vem jogando bem, vem conseguindo ter mais oportunidades de gol que o adversário", finalizou o atleta.

O segundo jogo da decisão do Paulistão 2022 acontecerá no próximo domingo (03), às 16h (Horário de Brasília), no Allianz Parque.

VAVEL Logo