Favorita do grupo B, Inglaterra enfrenta Irã na primeira rodada da Copa do Mundo
ingleses fecham a preparação para o primeiro jogo na competição. (Foto: divulgação/England Football Association)

Após tanta espera, a bola irá rolar na Copa do Mundo. No segundo dia de jogos, Inglaterra e Irã se enfrentarão nesta segunda-feira (21) às 10h pelo horário de Brasília, no estádio Internacional Khalifa, em Doha, abrindo o Grupo B. A partida terá arbitragem brasileira de Raphael Claus.

Esta será não só a primeira vez em que as seleções se enfrentam, mas também em que o English Team jogará contra uma seleção asiática em Copas. Os iranianos por sua vez buscam a primeira vitória contra uma seleção europeia na história do torneio e se classificar para as oitavas de final.

A equipe inglesa não joga desde setembro, quando empatou com a Alemanha por 3 a 3 pela Nations League. Do time que entrou em campo na ocasião, apenas o defensor Reece James ficou de fora da lista final, devido a lesão. Outra ausência da lista final foi o lateral Ben Chilwell, que também se machucou.

Já o Irã chega a competição contando com Mehdi Taremi, principal estrela da equipe, e com o retorno do técnico português Carlos Queiroz, que dirigiu a seleção de 2011 a 2019 e voltou ao comando da seleção depois de uma passagem pelo Egito. O treinador chega para tentar colocar a equipe nos eixos depois de um período de crise interna que afetou a preparação da equipe para o mundial.

Polêmica da braçadeira de capitão: a queda de braço com a FIFA

De acordo com o The Guardian e Independent, as seleções da Inglaterra e do País de Gales irão desafiar a Fifa utilizando as faixas de capitão “OneLove”, em apoio ao movimento LGBTQIA+. Porém, há o receio do uso da braçadeira ser penalizada com o cartão amarelo. Em coletiva, Gareth Southgate também confirmou que o time vai ajoelhar no início da partida em protesto contra o racismo.

A entidade máxima do futebol tenta convencer os capitães a utilizar as faixas que tenham outros tipos de mensagens sociais. Harry Kane falou sobre o desejo de usar a braçadeira OneLove.

Deixamos claro como equipe, equipe e organização que queremos usar a braçadeira. Sei que a FA está conversando com a Fifa no momento e tenho certeza que na hora do jogo amanhã eles terão sua decisão. Acho que deixamos claro que queremos usá-lo”.

  • Ingleses tentam se adaptar ao clima antes da estreia

Durante os últimos dias de preparação, circulou nas redes sociais vídeos dos jogadores da Inglaterra sofrendo com o calor e tentando se refrescar com o auxílio de ventiladores. A alta temperatura no Catar pode ser um dos principais desafios a serem superados pela equipe comandada por Southgate.

Connor Coady comentou em entrevista coletiva sobre a adaptação dos jogadores ao calor da região e chegou a brincar comparando o clima de seu país. “Estamos tentando abraçá-lo (o calor) o máximo possível. Não temos essa chance com muita frequência em casa porque geralmente tem chuva e frio congelante”.

Em campo, a principal esperança inglesa é o atacante e capitão Harry Kane. Maior referência da equipe, o jogador foi o artilheiro em 2018 com seis gols marcados e chega a essa copa com a missão de liderar a Inglaterra na busca pelo sonhado bicampeonato mundial.

Provável escalação: Pickford; Trippier, Stones, Maguire, Shaw; Rice, Bellingham; Sterling, Mount, Foden; Kane.

  • Em meio a crises, Queiroz busca preparar o time para a estreia

Além das incertezas na diretoria da Federação Iraniana de Futebol (IRIFF) que culminaram na troca de treinador às vésperas da Copa do Mundo, os protestos que ocorrem no país em prol de mais liberdade às mulheres viraram assunto durante a preparação da seleção.

Nos últimos meses, com a turbulência política na IRIFF, o comando técnico da seleção foi bastante afetado. O então treinador Dragan Skocic, que treinou o país durante as eliminatórias e garantiu a classificação em primeiro lugar na fase final, foi demitido e recontratado. Porém, após a eleição de Mehdi Taj para a presidência da federação, Queiroz voltou ao comando do time.

Com a onda de protestos no país, a convocação dos jogadores para o mundial, que estava prevista para o dia 13 de novembro, chegou a ser adiada. De acordo com a imprensa local, um dos motivos para o adiamento seria a pressão do governo pela não convocação do atacante Sardar Azmoun, que chegou a se posicionar em suas redes sociais em favor dos protestos.

No fim, Azmoun acabou sendo convocado para a Copa, mas não em suas melhores condições físicas. O atacante do Bayer Leverkusen não joga desde outubro devido a um estiramento na panturrilha direita, mas conta com a confiança do treinador português.

Outro destaque da seleção, Mehdi Taremi vem de boa temporada pelo Porto, tendo marcado 13 gols nos últimos 19 jogos, além de 8 assistências. O jogador acredita que está na melhor fase da carreira e ainda falou sobre o desejo de balançar as redes na competição, além de exaltar o elenco iraniano. "Darei o meu melhor para marcar, mas o mais importante é ser um jogador de equipe e ajudar os meus companheiros. O nosso time é muito unido, jogamos uns pelos outros”.

Provável escalação: Beiranvand; Moharrami, Pouraliganji, Hosseini, Mohammedi; Nourollahi, Ezatolahi, Hajsafi; Jahanbakhsh, Taremi, Amiri.

  • Arbitragem brasileira

Árbitro: Raphael Claus (BRA);

Assistente1: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (BRA);

Assistente 2: Danilo Simon (BRA);

VAR: Leodan Gonzalez (URU).

VAVEL Logo