Sem Marcelo, Brasil encara México tentando mudar história dos campeões mundias na Copa
Arte: Rodrigo Rodrigues/VAVEL.com

Sem Marcelo, Brasil encara México tentando mudar história dos campeões mundias na Copa

Algumas das grande favoritas como Argentina, Espanha e Alemanha já se despediram do torneio na Rússia; Comandados de Tite tem ao seu favor retrospecto positivo de vitórias

Araujo_Luis
Luis Araujo
BrasilAlisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda, Filipe Luis; Casemiro, Paulinho; Willian, Philippe Coutinho, Neymar, Gabriel Jesus.
MéxicoGuillermo Ochoa; Miguel Layun, Hugo Ayala, Carlos Salcedo, Jesus Gallardo; Hector Herrera, Jonathan Dos Santos, Andres Guardado; Carlos Vela, Javier Hernandez, Hirving Lozano.
ÁRBITROGianluca Rocchi, auxiliado por Elenito di Liberatore e Mauro Tonolini (todos da Itália).
INCIDENCIASOitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. Partida disputada na Arena Samara, em Samara.

Nesta segunda-feira (2), às 11h, Brasil e México se enfrentam pela primeira vez em uma fase mata-mata de Copa do Mundo. Entretanto, o confronto está longe de ser uma novidade na história da competição. Em 2014, um empate sem gols em Fortaleza, em 17 de junho, foi o único dos quatro confrontos entre os dois lados que não terminaram em uma vitória brasileira.

A missão do Brasil de apagar a decepcionante campanha de 2014 ainda está em andamento na Rússia 2018. A campanha canarinho até as oitavas-de-final foi suave, mas com muita emoção na segunda partida: depois de empatar em 1 a 1 com Suíça na estreia, venceu a Costa Rica por 2 x 0 nos acréscimos e por fim com tranquilidade passou pela Sérvia com um 2 a 0 e terminou como líder do Grupo E.

Uma das questões que o México precisará responder: seu ímpeto desapareceu? Depois de iniciar sua jornada com duas vitórias sólidas, a mais importante por 1 a 0 sobre a Alemanha, campeã de 2014, os mexicanos terminaram a fase de grupos com uma derrota por 3 x 0 para a Suécia e avançaram graças a derrota dos alemães para a Coreia do Sul.

Retrospecto brasileiro favorável

Em quatro jogos em fases de grupo, o retrospecto é amplamente favorável ao Brasil: são três vitórias e um empate. Em 1950, no recém Maracanã, a Seleção fez 4 a 0 nos mexicanos. Ademir de Menezes, craque do Vasco, fez dois gols. Jair e Baltazar completaram o placar. Quatro anos depois, na Suíça, em 1954, goleada ainda maior: 5 a 0. Ademir voltou a marcar, acompanhado de Pinga, duas vezes, Didi e Julinho Botelho. Em 1962, na campanha do bicampeonato, novo triunfo na primeira rodada: 2 a 0, com gols de Zagallo e Pelé. Na Copa de 2014, a partida terminou 0 a 0 por culpa de um personagem que segue importante para os mexicanos: Ochoa. O goleiro fez quatro grandes defesas e impediu a vitória brasileira na segunda rodada do Grupo A.

+ Guia VAVEL da Copa do Mundo 2018 : Brasil

Thiago Silva capitão novamente, Filipe Luis titular; Neymar e Coutinho pendurados

Desde que assumiu a Seleção Brasileira, Tite definiu um rodízio para definir quem será o capitão em suas partidas. Na Rússia, não vinha sendo diferente e o primeiro escolhido foi Marcelo na estreia, na segunda partida Thiago Silva teve a braçadeira e Miranda foi o capitão na vitória sobre a Sérvia.

Contra o México, Thiago será novamente o principal líder dentro de campo. O zagueiro entrou em um seleto grupo de jogadores. Até aqui, apenas quatro brasileiros tinham iniciado jogos como capitães do Brasil em duas Copa do Mundo: Martim Silveira (1934 e 1938), Bellini (1958 e 1962), Dunga (1994 e 1998) e Cafu (2002 e 2006).

Foto: Divulgação/CBF
Foto: Divulgação/CBF

Em entrevista coletiva após treino deste domingo, o zagueiro fez elogios aos atacantes da seleção mexicana, em especial a Chicharito Hernandez.

“São jogadores extremamente inteligentes, sabem ocupar os espaços como ninguém. O Chicharito já conheço um pouco melhor, nos enfrentamos algumas vezes, sei da qualidade que esse menino tem. Todo cuidado com esse trio de ataque, mas não só com eles. Quem faz a bola chegar com qualidade também", disse.

Foto: Divulgação/CBF
Foto: Divulgação/CBF

Na coletiva, o treinador brasileiro ainda falou sobre seus “problemas” nas laterais e confirmou que Filipe Luis será titular contra os mexicanos. Tite disse que Marcelo treinou normalmente com os companheiros neste domingo (1), mas não mostrou a intensidade necessária para uma partida eliminatória.

Fágner também será mantido mesmo com Danilo estando a disposição para o banco de reservas. Ele explicou que o lateral do Corinthians fez duas partidas em grande nível e que a partida desta segunda-feira (2) pode ter 120 minutos, o que complicaria a situação de Danilo que volta de contusão.

“O Marcelo jogou pouquíssimo tempo no dia 27 (na vitória sobre a Sérvia). No dia 28 e 29, o departamento médico não fez absolutamente nada. Ontem (sábado), veio a campo, fez trabalho com bola, um pouquinho específico, mas sem enfrentamento. Trabalho que foi feito hoje (domingo) também com baixo volume. Isso me faz ter a conclusão de que ele perde um pouco da velocidade de reação e faz com que fiquemos temerosos para um jogo que possivelmente tenha 120 minutos. Quando vou dar estimativa de tempo, não posso cravar que tenha capacidade para 120 minutos. Além disso, a previsão é de temperatura elevada, o que faz com que o desgaste físico seja muito grande”, explicou.

Uma grande preocupação da comissão técnica brasileira é em relação aos cartões amarelos. Três titulares estão pendurados: Casemiro, Neymar e Phillipe Coutinho. Se receberem um cartão contra o México e o Brasil passar de fase não jogam a fase seguinte (quartas de final). Para isso, Tite vem trabalhando com os jogadores para reclamar menos com a arbitragem e isso já foi visível na partida contra a Sérvia.

Foto: Divulgação/CBF
Foto: Divulgação/CBF

México de Osório espera surpreender com time ofensivo e coloca fichas em Chicharito

O México passou de fase em um grupo onde havia a tetracampeã Alemanha. Mais do que isso, venceu os alemães por 1 a 0 na estreia da Copa da Rússia. Apesar disso, os mexicanos terminaram a fase de grupos com uma derrota por 3 a 0 para a Suécia. O treinador Juan Carlos Osório conhece bem o futebol brasileiro e sabe que não pode ficar só na defesa na partida. Segundo ele o pensamento é de tentar sair para o ataque.

“Vamos disputar a posse de bola, pois temos meias com muita qualidade. Acredito que podemos ter superioridade numérica no meio campo. Será uma tarefa titânica, mas acreditamos. Nosso pensamento não é em ficar atrás, porque sabemos que o Brasil tem muita qualidade e sempre acaba fazendo gol em quem só se defende”, disse.

+ Guia VAVEL da Copa do Mundo 2018: México

As eliminações das favoritas Alemanha e Argentina (no momento da entrevista, a Espanha ainda não havia sido eliminada) deram uma esperança a mais para a equipe mexicana, que chegou às oitavas de final nas últimas seis Copas do Mundo, mas ainda não conseguiu avançar. Essa questão gerou uma brincadeira no país: “O México jogou como nunca, mas perdeu como sempre.” Apesar disso, Osório disse que não dá pra prever o vencedor mas aposta em uma surpresa de sua equipe.

“Futebol não é basquete, rugby ou beisebol. Não dá pra antecipar o vencedor. Você tem que fazer um gol e, às vezes, você tenta o gol e ele não sai. No futebol podemos ter todos os tipos de surpresa. Nosso pensamento não é em ficar lá atrás, pois sabemos que o Brasil tem muita qualidade e acaba sempre fazendo gol contra quem se defende o jogo inteiro", disse Osorio.

Foto: Twitter Federação Mexicana
Foto: Twitter Federação Mexicana
VAVEL Logo

Seleção Brasileira Notícias

há 21 dias
há 24 dias
há 25 dias
há 25 dias
há 25 dias
há um mês
há 2 meses
há 2 meses
há 2 meses
há 2 meses
há 2 meses