Em situações diferentes na classificação, Sport e Náutico fazem clássico dos desesperados
Foto: Divulgação/Sport

Sport e Náutico jogam nesta quarta-feira (28), às 21h45, na Ilha do Retiro, válido pela 32º rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. A situação delicada dos clubes na classificação - mesmo sendo em situações opostas, o clássico recifense ganha cara de final de Copa do Mundo.

Os dois clubes da capital pernambucana estão em situações opostas na classificação da segunda divisão. Enquanto o Leão ainda sonha no acesso à Série A do Brasileiro, o Timbu briga contra a queda para Série C.

  • Na briga pelo acesso

O Sport chega para o confronto precisando desesperadamente dos três pontos para seguir na cola do Vasco, primeiro time dentro do G-4. Atualmente, o Leão tem 43 pontos, sendo cinco a menos que a equipe carioca. A campanha irregular na Série B faz com que o Leão continue próximo aos principais clubes, mas, com certa desvantagem na pontuação.

O Sport tem a 6º melhor campanha como mandante da Série B, foram 15 jogos com 10 vitórias, quatro empates e apenas uma derrota. A equipe chega com quatro vitórias seguidas jogando diante dos seus torcedores, a última vez que não venceu foi contra o Criciúma, pela 22º rodada da competição.

“A gente vai com tudo desde o primeiro minuto. Vamos tentar fazer com que as coisas ocorram bem para o nosso lado. Se tratando de um clássico tem rivalidade, envolve história e vamos tentar manter a concentração ao máximo para sairmos vencedores”, disse o volante Ronaldo.

“As duas equipes têm objetivos diferentes. Estamos brigando para subir e eles na parte inferior da tabela. Vamos dar a vida aqui e eles lá. Mas, por jogarmos em casa, temos que fazer por onde para sairmos de campo com os três pontos. Sei que nossa torcida vai nos incentivar.''

Foto: Divulgação/Sport
Foto: Divulgação/Sport

“Até o fim! A nossa mentalidade é essa, independente se lá na frente vai dar certo ou não, a mentalidade é que vamos conseguir entrar no G-4 e não sair mais. Nosso objetivo é botar o Sport na Série A”, finalizou.

‘’O maior sentimento que eu tive foi gratidão. O momento que me chamou atenção foi quando eu fui chamado contra o Bahia, foi algo que realmente me emocionou. Cheguei em casa e contei para minha esposa, pois foi algo que realmente me marcou’’, comentou o zagueiro Rafael Thyere.

Para o confronto diante do Náutico, o técnico Claudinei Oliveira deve repedir o time que perdeu para o Grêmio em Porto Alegre, sendo a base da equipe nos últimos jogos.

Provável escalação do Sport: Saulo; Eduardo, Rafael Thyere, Sabino, Sander; Giovanni, Fabinho, Ronaldo Henrique, Luciano Juba; Gustavo Coutinho, Vágner Love.

  • Na briga contra degola

O Náutico vive uma situação extremamente delicada. O Timbu ocupa a lanterna da competição com apenas 27 pontos, estando oito pontos atrás do Guarani, primeiro time fora da zona do rebaixamento. Pelos cálculos, a equipe precisaria fazer mais 18 pontos até o término da competição e ainda torcer contra os concorrentes. Ou seja, em números mais exatos, o Náutico precisa de mais seis vitórias em oito partidas que ainda restam na Série B.

A equipe comandada por Dado Cavalcanti chega para o confronto com duas derrotas seguidas para Vasco, no Rio de Janeiro por 4 a 1 e outra para o Sampaio Corrêa, nos Aflitos de virada por 3 a 1. Essa sequência negativa vem após duas vitórias seguidas contra Ituano e Brusque, no que parecia o início da reação alvirrubra na Série B.

"À medida que o tempo passava, nossa equipe ficou, de certa forma, jogando de forma aleatória. Interpreto como o jogo mais aleatório que fizemos até hoje. Alguns jogadores cruciais, que seguram a onda da intensidade da equipe, não estiveram bem tecnicamente”, disse o comandante do Náutico.

“Desde a oitava, nona rodada, o Náutico briga na parte de baixo da tabela. Quando as coisas não andam, existe a frustração. A confiança é abalada. Nunca neguei que tinha preocupação com a condição psicológica, a força emocional para reverter o quadro. Tudo conspira negativamente. O que pode conspirar positivamente é a vitória. Isso poderia trazer leveza ao ambiente. Tivemos duas boas vitórias aqui e fizemos um bom jogo contra o Vasco, mesmo perdendo. Não esperava chegar aqui e ter esse nível de comportamento. Mas temos de passar por cima. Vamos procurar fazer o nosso melhor dentro de campo para buscar os resultados”, completou. 

“É um jogo decisivo para os dois lados. Não podemos vacilar. Temos que ser inteligentes durante os 90 minutos para sairmos com um grande resultado fora de casa. Vamos enfrentar uma grande equipe, em um clássico, e temos que entrar ligados”, disse o zagueiro Maurício.

O Náutico não contará com o zagueiro Maurício, que ainda se recupera de lesão e com Arhutr Henrique, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Mas, Dado Cavalcanti terá os retornos do zagueiro Wellington e do atacante Geuvânio.

Provável escalação do Náutico: Jean; Victor Ferraz, Wellington, João Paulo, João Lucas; Richard Franco, Souza, Thomaz; Everton, Jean Carlos, Geuvânio.

  • Jejum em jogo

O Náutico nunca venceu o Sport jogando na Ilha do Retiro em jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro da Série B. Foram cinco jogos, sendo quatro vitórias rubro-negra e um empate.

Além disso, o Timbu ainda não venceu clássicos em 2022. Foram duas derrotas para o Sport e outro empate. Diante do Santa Cruz, as duas equipes saíram com o placar igual nos dois confrontos do ano.

  • Probabilidades

Na 8 colocação com 43 pontos, o Sport tem apenas 8% de chances de garantir o acesso à Série A do ano que vem, de acordo com o Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais. O Cruzeiro já garantiu vaga, enquanto o Grêmio tem 96%, o Bahia tem 94% e o Vasco, 4º colocado, tem 54% de chances. Por isso, o clube rubro-negro precisa tanto dos três pontos para se aproximar do Vasco, ficar há dois pontos e seguir sonhando.

Do outro lado da cidade, o Náutico vive uma situação delicada e busca um milagre para se safar da Série C. O Timbu tem 97% de chances de rebaixamento, sendo a equipe com a maior probabilidade de queda. Lanterna da competição, a equipe alvirrubra precisaria fazer 45 pontos para se garantir na segunda divisão, ou seja, mais seis vitórias nos oito jogos restantes.

VAVEL Logo