Wolves confirma boa fase, bate Everton fora de casa e conquista terceira vitória seguida 
Divulgação: Wolves/Twitter Oficial

Wolves confirma boa fase, bate Everton fora de casa e conquista terceira vitória seguida 

Em mais uma partida convincente da equipe de Nuno, o Wolverhampton dominou os Toffees e alcançou quatro pontos de diferença para seu adversário direto no meio de tabela

gabriel_oandrea
Gabriel Andrea
everton-fcPickford; Coleman, Keane, Zouma, Baines; Davies, Gomes; Richarlison, Sigurdsson, Walcott; Tosun
Wolverhampton WanderersRui Patricio; Bennett, Boky, Coady; Doherty, Neves, Dendoncker, Moutinho, Jonny; Jiménez, Jota
PlacarEVERTON: Andre Gomes (27'/1ºT) WOLVERAMPTON: Ruben Neves (7'/1ºT);Raul Jimenez (45'/1ºT); Dendoncker (20'/2ºT)
INCIDENCIASPartida Válida pela 25ª rodada da Premier League; Goodison Park, Liverpool, Inglaterra

No Goodison Park, em Liverpool, o Everton recebeu o Wolverhampton em sua casa - pela 25ª rodada da Premier League - no que seria uma briga particular dentro da tabela. Isso porque os dois times começaram a rodada separados por apenas uma posição (os Toffees em 8º e os Wolves em 7º) e dois pontos de diferença, o que botou uma motivação extra para ver quem levaria os três pontos na partida.

A pequena diferença entre os times na tabela não é a única semelhança entre eles, já que as cidades de Liverpool e Wolverhampton são separadas apenas por cerca de 110 quilômetros de distância.

Procurando voltar a figurar na parte de cima, o técnico Marco Silva botou um time bem ofensivo em campo. Os habituais volantes marcadores do time do Everton foram trocados por Andre Gomes e Davies, que claramente davam um upgrade ofensivo a equipe da casa. Além dos falsos volantes e dos dois meias armadores, o treinador português escalou também o brasileiro Richarlison junto com o centroavante  Tosun.

Do outro lado, o também português Nuno Espírito Santo optou por um “padrão que vem dando certo”, com cinco defensores, três homens de meio-de-campo e dois atacantes. Em uma fase boa, a tendência era apostar num esquema que vinha aguentando segurar nos maiores e menores jogos.

À procura de uma melhora, foi o Everton quem saiu em busca das primeiras bolas de ataque. Mas na primeira chance do Wolverhamton, logo aos cinco minutos, Doherty colocou o corpo na frente de Baines e foi derrubado pelo lateral. O juiz, sem titubear, assinalou o pênalti para o time visitante. Ruben Neves deslocou Pickford com categoria para marcar o primeiro dos Wolves na partida. 

Divulgação: Wolves/Twitter Oficial
Divulgação: Wolves/Twitter Oficial

O gol deu um ânimo para o time de fora, que se atirou para o ataque e deu ainda mais motivos para o torcedor do Everton pedir mais de sua equipe. Aos 19’, Raul Jimenez quase marcou o segundo do Wolverhampton, não fosse a defesa do bom goleiro dos Toffees.

Na marca dos 27 minutos veio a resposta do Everton. André Gomes marcou um golaço para deixar o placar igualado no Goodison Park. Da entrada da área, o meia dominou e já botou a bola na frente para bater em velocidade e chutar no ângulo do goleiro Rui Patrício. Daí em diante o jogo ficou mais intenso e animado para quem o assistiu. A alta intensidade da partida aumentou também o número de faltas. Os dois times sofreram com cartões amarelos em divididas fortes.

Nos instantes finais do primeiro tempo, aos 44’, João Moutinho cobrou falta com perfeição na cabeça de Jimenez, que desempatou a partida, fez o 2 a 1 para os Wolves e marcou seu terceiro gol nos últimos três jogos pela Premier League. E assim os times voltaram para o intervalo, num jogo definido por detalhes e muita disputa em campo. 

Divulgação: Everton/Twitter Oficial
Divulgação: Everton/Twitter Oficial

A segunda etapa não começou correspondendo as devidas expectativas e o jogo caiu significativamente em termos de produtividade entre as duas equipes em campo. Até os 15 minutos do segundo tempo, cada time chutou a gol apenas uma vez, num momento marcado por muitas bolas lançadas em direção à área com pouca mira.

Na marca dos 20 minutos, entretanto, numa jogada em velocidade puxada por Diogo Jota, o atacante chutou nas mãos de Pickford e deixou o rebote para Dendoncker, que mandou uma pancada de canhota no ângulo para fazer o terceiro do time do Wolverhampton. 3 a 1 e um jogo praticamente definido para o time visitante, o que deixou a torcida da casa profundamente irritada com a atuação do time comandado por Marco Silva.

Gylfi Sigurðsson e Richarlison eram os jogadores que mais incomodavam a defesa do Wolverhampton. Até o final da partida, porém, o Everton não conseguia ser efetivo lá na frente, seu técnico foi conseguiu desfrutar das substituições que fez e o Wolverhampton simplesmente administrou a partida até seu final.

Com o resultado positivo, os Wolves acabaram com um jejum de 7 jogos sem vitórias contra os Toffees entre todos os jogos disputados entre as duas equipes nesse período. Os Wolves conseguiram sua terceira vitória consecutiva na Premier League e alcançaram quatro pontos de diferença para o Everton.

A próxima partida para o Everton tentar recuperar-se na competição nacional será na próxima quarta-feira (6), às 17h45 (horário de Brasília), contra o Manchester City, novamente dentro de casa. Os Wolves terão um compromisso pela quarta rodada da Copa da Inglaterra na terça-feira (5), quando recebem em casa o Shrewsbury Town Football Club, às 17h45 (horário de Brasília).

VAVEL Logo