Fluminense vence e garante vantagem pelo empate contra Vila Nova na Copa do Brasil
Foto: Mailson Santana/Foto Fluminense FC

Nesta terça-feira (19), o Fluminense venceu o Vila Nova no Maracanã por 3 a 2 em partida repleta de emoções, pelo primeiro jogo da terceira fase da Copa do Brasil. Os gols do tricolor foram marcados por Ganso, Cano e Fred. Rafael Donato e Paulo Dyego anotaram para o Tigre.

Seguro, tranquilo e inteligente

Início de partida bem morno, com ambas equipes se estudando e tentando explorar os pontos fracos do adversário. O Tigre conseguiu nos primeiros minutos incomodar mais do que o tricolor, que viu a pressão do time goiano crescendo e não conseguiu encaixar os passes. Foi nítido o estilo colorado: recuperar essa bola e descer no contra-ataque rápido, mas vinha pecando nas transições buscando seus atacantes. Fluminense ofereceu mais perigo nas bolas paradas e sofreu muito para trocar passes no meio campo, onde o adversário se fazia mais presente. Com isso, o tricolor forçou bastante nas ligações diretas e acabou entregando a posse para o Tigre em diversas oportunidades.

Com o relógio batendo a metade do primeiro tempo, o tricolor teve apenas três finalizações. Jogando em casa, com um elenco muito superior tecnicamente e individualmente, se esperava mais. No entanto, méritos do Tigre, que preencheu muito bem os espaços e povoou o meio-campo, inibindo as investidas do clube carioca. E não demorou muito para acontecer o primeiro susto. Em uma batida de fora da área, o Vila trouxe o que vinha sendo o lance mais perigoso, e Fábio buscou com a ponta dos dedos. Pouco mais tarde, mais pressão colorada, desta vez com três escanteios seguidos. No terceiro, dos pés de Matheuzinho, Rafael Donato subiu no segundo andar e cabeceou no chão, cruzado, tirando do goleiro Fábio e abriu o placar.

O Fluminense jogava com extremas dificuldades de produzir na partida. Finalizou apenas quatro vezes no gol, enquanto seu adversário teve nove arremates. O tricolor não conseguiu conectar os passes, viu o adversário limitar os espaços a serem percorridos dentro de campo e, nas melhores oportunidades, ou estavam impedidos ou não aproveitavam. Vale destacar que, a grande dificuldade encontrada pelo tricolor, se dá pelo grande trabalho feito pelo Tigre e a intensidade nas disputas.

Com o placar contra, o Fluminense desceu para o vestiário com muitas vaias da torcida e bastante xingamento direcionados ao treinador Abel Braga, que já vinham protestando, quando os erros de passes se tornaram mais frequentes e grotescos. Para o Vila, o placar era ótimo e se confirmado no final da partida, é uma vantagem gigantesca para o Tigre.

Superação e virada incrível

A segunda etapa se iniciou em chamas, com Cano recebendo um passe na medida dentro da área e batendo cruzado. A bola passou tirando tinta da trave e seguiu para a linha de fundo. Fluminense voltou com um ritmo totalmente diferente, com intensidade e mais preciso na troca de passes. O Vila Nova, por sua vez, voltou mais frio e acabou sofrendo bastante pressão nos primeiros minutos, num completo ataque contra defesa. Porém, na primeira roubada de bola, o Vila Nova iniciou contra-ataque e Pablo Dyego, ex-Fluminense, marcou o segundo para o Tigre.

O gol colorado não poderia ter saído numa hora melhor. No momento em que o tricolor sufocava o Vila em seu campo de defesa e tomava conta da partida, surgiu um lance de contra-ataque que gerou o gol. Porém, não demorou muito e a emoção se tornou euforia. Willian foi derrubado dentro da área e a arbitragem, depois de uma leve titubeada, assinalou a penalidade. Ganso colocou a bola debaixo do braço e foi para a cobrança. Na batida, a bola ainda beijou a trave antes de morrer no fundo das redes.

Pouco mais tarde, com a euforia do gol, o tricolor passou a pressionar mais no campo de ataque e tomar conta da partida, mais uma vez. Não demorou muito, em jogada trabalhada pela ponta esquerda e cruzamento de Marlon feito para área, Cano apareceu livre de marcação para estufar as redes e incendiou ainda mais o jogo com o gol de empate.

A partida se fez ainda mais dramática quando Caio Paulista sentiu a coxa e o tricolor já havia batido todas as substituições possíveis na partida. O Fluminense não podia aumentar a intensidade, por estar praticamente com um jogador a menos. Aproveitando da situação, o treinador do Tigre mexeu no ataque nos minutos finais da partida, para tentar levar a vantagem para Goiás.

Na base da superação e pressão, Fluminense insiste na jogada que começou com Nino cruzando pela ponta direita, sobrou em Nonato depois do corte da defesa do Tigre, que tocou para Fred bater de chapa e correr para o abraço, com a virada tricolor. A arbitragem deu sete minutos de acréscimos e mesmo assim, não foi o suficiente para arrancar a vitória do clube carioca.

Classificação e próximos compromissos

Com a vitória de virada no Maracanã, o Fluminense leva a vantagem do empate jogando fora de casa, no jogo da volta contra o Vila Nova. Em caso de vitória colorada por um gol de diferença, a decisão ficará nas penalidades.

O Fluminense volta a campo sábado (23), contra o Internacional no Rio de Janeiro, às 19h. O Vila Nova volta a campo no sábado (23), contra o Ituano no interior de São Paulo, às 19h.

VAVEL Logo