Guia VAVEL da Copa do Mundo: Polônia
Arte: VAVEL

Guia VAVEL da Copa do Mundo: Polônia

Comandados por Lewandowski, poloneses chegam ao Mundial com status de cabeça-de-chave e esperançosos de uma boa campanha na Rússia

bruno-da-silva
Bruno da Silva

Polônia tem motivos para ir à Copa do Mundo da Rússia com muito otimismo. Depois de ficar fora dos Mundiais na África do Sul e no Brasil, os poloneses avançaram até as quartas de final da Eurocopa em 2016, na França, caindo para a campeã seleção de Portugal apenas nos pênaltis, mesmo sem perder nenhum jogo na campanha (duas vitórias e três empates).

Nas Eliminatórias, só perderam um jogo e em 2017 alcançaram sua posição na história do ranking da Fifa: quinto lugar. Comandados por Lewandowski, mas com jogadores em todas as grandes ligas europeias, os biało-czerwoni chegam favoritos e cabeças-de-chave no Grupo H (que conta com Colômbia, Senegal e Japão), e com esperança de avançar ainda mais em sua oitava participação em Copas na história.

Guia VAVEL da Copa do Mundo 2018: Grupo H

Guia VAVEL da Copa do Mundo 2018: Colômbia

Guia VAVEL Copa do Mundo 2018: Senegal

Expectativas e convocados

A Polônia foi dominante em seu grupo nas Eliminatórias para a Copa do Mundo. A estreia no Grupo E foi preocupante - empate com o Cazaquistão fora de casa, por 2 a 2 -, mas nos nove jogos seguintes, foram oito vitórias e apenas uma, pesada, derrota: 4 a 0 para a Dinamarca, que também estará na Rússia. Além dos dois times já citados, MontenegroRomênia Armênia completavam a chave polonesa. A campanha foi de oito vitórias, um empate e uma derrota, com 28 gols marcados e 14 sofridos. Os poloneses terminaram cinco pontos a frente dos dinamarqueses, segundos colocados. Foi a sétima melhor campanha entre todos os classificados à Rússia.

Polônia comemorou muito seu retorno às Copas após 12 anos (Foto: Foto Olimpik/NurPhoto via Getty Images)
Polônia comemorou muito seu retorno às Copas após 12 anos (Foto: Foto Olimpik/NurPhoto via Getty Images)

Nos amistosos preparatórios para a Copa, a Polônia empatou com o Chile por 2 a 2 (gols de Lewandowski e Zielinski) e goleou a Lituânia por 4 a 0 (gols de Lewandowski, duas vezes, Kownacki e Blaszczykowski).

A convocação do técnico Adam Navalka não teve grandes surpresas. Em relação ao elenco da Eurocopa dois anos atrás, foram oito mudanças. Com 31 jogos pela Polônia, o meio-campista Krzysztof Mączyński, do Legia Varsóvia, acabou sendo cortado da lista final. No gol, Bartosz Bialkowski, do Ipswich Town, acabou sendo chamado para ser terceiro goleiro na vaga de Lukasz Skorupski, ex-Roma e que atualmente está no Empoli. Ou seja, nada muito polêmico.

Dos 23 convocados, apenas quatro atuam no futebol nacional. A maioria está em grandes ligas europeias - Inglaterra, Itália, França e Alemanha. O zagueiro Thiago Cionek, da SPAL, é um dos brasileiros naturalizados. O defensor é natual de Curitiba. Na estreia da Copa do Mundo, Jakub 'Kuba' Blaszczykowski, do Wolfsburg, completará 100 jogos com a Seleção Polonesa.

Time-base: Szczesny; Piszczek, Pazdan, Glik; Blaszczykowski, Krychowiak, Linetty, Zielinski, Rybus; Grosicki, Lewandowski

Lista completa dos convocados

Goleiros: Bartosz Bialkowski (Ipswich Town), Lukasz Fabianski (Swansea City), Wojciech Szczesny (Juventus);

Defensores: Jan Bednarek (Southampton), Bartosz Bereszynski (Sampdoria), Thiago Cionek (SPAL), Kamil Glik (Monaco), Artur Jedrzejczyk (Legia Warsaw), Michal Pazdan (Legia Warsaw), Lukasz Piszczek (Borussia Dortmund);

Midfielders: Jakub Blaszczykowski (Wolfsburg), Jacek Goralski (Ludogorets), Maciej Rybus (Lokomotiv Moscou), Piotr Zielinski (Napoli), Karol Linetty (Sampdoria), Grzegorz Krychowiak (West Bromwich), Kamil Grosicki (Hull City), Slawomir Peszko (Lechia Gdansk), Rafal Kurzawa (Gornik Zabrze);

Forwards: Robert Lewandowski (Bayern de Munique), Arkadiusz Milik (Napoli), Lukasz Teodorczyk (Anderlecht), Dawid Kownacki (Sampdoria).

Destaque: Robert Lewandowski

Lewandowski marcou 16 gols e foi o artilheiro isolado das Eliminatórias Europeias (Foto: Andrew Surma/NurPhoto via Getty Images)
Lewandowski marcou 16 gols e foi o artilheiro isolado das Eliminatórias Europeias (Foto: Andrew Surma/NurPhoto via Getty Images)

O astro maior da companhia polonesa na Rússia é Robert Lewandowski. O atacante de 29 anos é o maior artilheiro da história da Polônia, com 55 gols marcados e 95 jogos e uma das grandes estrelas e um dos favoritos à artilharia da Copa do Mundo. O jogador do Bayern de Munique foi o artilheiro das Eliminatórias Europeias: incríveis 16 gols marcados, em 10 jogos, um a mais que Cristiano Ronaldo. Na temporada com seu clube, marcou 41 vezes em 48 partidas - média de 0,85 gol/jogo.

Ao lado dele, se destacam também os 'italianos' Szczesny, goleiro da Juventus, além do meia Zielinski e do atacante Milik, do Napoli, jogadores de muita qualidade e que fizeram temporadas interessantes na Serie A.

Fique de olho: Piotr Zielinski

Elegância dentro e fora de campo: Zielinski é um dos destaques da Seleção Polonesa (Foto: Sergei Fadeichev/TASS via Getty Images)
Elegância dentro e fora de campo: Zielinski é um dos destaques da Seleção Polonesa (Foto: Sergei Fadeichev/TASS via Getty Images)

Aos 24 anos, Piotr Zielinski parece estar se encaminhando para o auge técnico de sua carreira. Mesmo sem ser um titular absoluto no empolgante Napoli, o meia já desperta interesse de grandes clubes europeus. Com muita qualidade de passe, chutes de longa distância e dribles, além de ter muita qualidade para cruzamentos em bola parada, Zielinski é um meio-campista dinâmico e moderno, com capacidade de quebrar linhas e descolar passes decisivos.

Técnico: Adam Nawalka

Nawalka está desde 2013 à frente da Polônia (Foto: Foto Olimpik/NurPhoto via Getty Images)
Nawalka está desde 2013 à frente da Polônia (Foto: Foto Olimpik/NurPhoto via Getty Images)

O ex-meia da Seleção da Polônia, Adam Nawalka vem mostrando bons resultados desde que assumiu o posto de treinador. O técnico de 60 anos assumiu o posto em outubro de 2013 - antes havia sido auxiliar entre 2007 e 2008 -, substituindo Waldemar Fornalik, que não conseguiu classificar os poloneses à Copa no Brasil. De lá para cá, levou a Polônia às quartas de final da Euro, ao melhor posto no ranking da Fifa e ao oitavo Mundial na história do país. Foram 47 jogos a frente dos biało-czerwoni, com 25 vitórias, 15 empates e somente sete derrotas.

Campanha na última Copa: Alemanha 2006

Polônia não joga Copa desde 2006: na Alemanha, foi eliminada na primeira fase e só venceu a Costa Rica (Foto:
Polônia não joga Copa desde 2006: na Alemanha, foi eliminada na primeira fase e só venceu a Costa Rica (Foto:  Cathal McNaughton - PA Images/PA Images via Getty Images)

A última campanha polonesa em Copas do Mundo foi na vizinha Alemanha, em 2006. Sem sucesso. Os poloneses estavam no Grupo A, ao lado dos anfitriões, além de Equador Costa Rica. Perderam por 2 a 0 para os equatorianos, 1 a 0 para os alemães e fecharam sua melancólica participação com uma vitória por 2 a 1 diante dos costa-riquenhos. O único remanescente daquele Mundial e, consequentemente, único polonês que já foi à uma Copa é o goleiro Lukasz Fabianski, que era reserva de Boruc à época e é de Szczesny atualmente.

A edição da Rússia será a oitava da Polônia em Copas do Mundo: participou também em 1938, 1974, 1978, 1982, 1986, 2002 e 2006. Suas melhores campanhas foram em 74 e 82: terceiro lugar.

VAVEL Logo

Futebol Internacional Notícias

há 3 dias
há 4 dias
há 6 dias
há 6 dias
há 7 dias
há 7 dias
há 7 dias
há 7 dias
há 8 dias
há 8 dias
há 10 dias